‘Speak Low’, de Kurt Weill

Do álbum September Songs: The Music of Kurt Weill, o tema ‘Speak Low’, extraído do musical “One Touch of Venus”, cuja estreia teve lugar no Imperial Theatre (Nova Iorque) em Outubro de 1943, com direcção de Elia Kazan.


Charlie Haden, contrabaixo | Fred Hersch, piano

‘Alabama Song’, de Kurt Weill

Extraída da ópera em três actos Aufstieg und Fall der Stadt Mahagonny, com música de Kurt Weill sobre libreto de Bertolt Brecht, a canção Alabama Song, publicada pela primeira vez em 1927 na colecção de poemas Hauspostille de Brecht, integra o álbum Kurt Weill: Die Dreigroschenoper (1930), com voz de Lotte Lenya, acompanhada pelo Ensemble The Three Admirals e pela Theo Mackeben’s Jazz Orchestra, com direcção de Theo Mackeben.

Não tenho o disco mas esta canção, imortalizada na versão dos The Doors, aparece também no álbum September Songs: The Music of Kurt Weill ao lado de interpretações de P.J. Harvey, Lou Reed, Elvis Costello, Nick Cave, entre outros.


‘Music for European Courts and Concerts’, de Gottfried Finger

O multi-instrumentista e compositor Gottfried Finger [c.1655 – 31 Agosto 1730], nascido na Morávia, na actual República Checa, cruzou-se com alguns dos principais compositores da sua época, como Heinrich Ignaz Franz Biber [1644-1704], Henry Purcell [1659-1695], Georg Philipp Telemann [1681-1767] e Silvius Leopold Weiss [1687-1750]. Ao serviço da orquestra da corte do Rei James II desde 1685, Finger foi, na década e meia que se seguiu, uma das personalidades mais relevantes do panorama musical de Londres, onde ficou conhecido como Geoffrey Finger.


Álbum: Finger: Music for European Courts and Concerts · ℗ Outhere, 2019
The Harmonious Society of Tickle-Fiddle Gentlemen · Robert Rawson
Chaconne a 4 in G Major, anterior a 1697

 

500 anos da morte de Josquin DesPrez

De Josquin Desprez [por volta de 1450/1455 – 27 Agosto 1521], figura central da Escola Franco-Flamenga, considerado – na linha do tempo – um dos mais notáveis compositores do alto Renascimento entre Guillaume Dufay [1397 – 1474] e Giovanni Pierluigi da Palestrina [c. 1525 – 1594], o sublime moteto Inviolata, integra et casta es Maria.
De sublinhar ainda a excepcional emissão que o Musica Aeterna dedica esta semana à efeméride.


Álbum: The Golden Renaissance: Josquin des Prez, ℗ 2021 – Stile Antico


 

‘La tentation de saint Antoine’, de Henri Fantin-Latour (II)

Do pintor francês Henri Fantin-Latour [14 Janeiro 1836 – 25 Agosto 1904], formado na Escola Superior de Belas-Artes de Paris e influenciado pelo movimento do simbolismo, a obra ‘La tentation de saint Antoine’ (não datada) pertence ao The National Museum of Western Art, Tóquio.


https://collection.nmwa.go.jp/en/P.1959-0099.html

‘Miles Runs The Voodoo Down’

O tema “Miles Runs The Voodoo Down” do duplo álbum Bitches Brew (1970) do trompetista Miles Davis foi gravado a 20 de Agosto de 1969.


Miles Davis (tpt); Wayne Shorter (ss); Bennie Maupin (bcl); John McLaughlin (el-g); Chick Corea (el-p); Joe Zawinul (el-p); Dave Holland (el-b); Harvey Brooks (el-b); Jack DeJohnette (d); Don Alias (d); Jim Riley [Jumma Santos] (perc)

“A Garland of Red”

O álbum de estreia do Trio do pianista de jazz Red Garland [1923-1984], com Paul Chambers no baixo e Art Taylor na bateria, foi gravado para a Prestige a 17 Agosto 1956, precisamente há 65 anos, num período de grande afirmação artística de Garland, já que  integrava o Quinteto de Miles Davis desde 1954, colaboração que se manteria até 1958.
Fica o standard What Is This Thing Called Love? escrito em 1929 por Cole Porter.


“Bill Evans Live at Ronnie Scott’s”

Durante a digressão europeia de 1968, o Trio do pianista e compositor de jazz norte-americano Bill Evans [16 Agosto 1929 – 15 Setembro 1980], com Eddie Gomez (baixo)  e Jack DeJohnette (bateria), gravou ao vivo em Junho a aclamada presença no Festival de Jazz de Montreux  e uns dias mais tarde em sessão de estúdio Some Other Time: The Lost Session from The Black Forest.
Em Julho, o trio apresentou-se no Clube de jazz londrino Ronnie Scott, trabalho que foi lançado em 2020 pela Resonance Records, autora deste pequeno mas precioso documentário que contextualiza a gravação do álbum, disponível no Spotify.


‘Ode for the Peace of Utrecht’, de William Croft

De William Croft [1678 – 14 Agosto 1727], compositor inglês, organista da Abadia de Westminster, contemporâneo de George Frideric Handel [1685-1759] e Henry Purcell [1659-1695], a abertura da Ode para a Paz de Utrecht.
Editado em 2010 pela Channel Classics Records, o álbum Handel: Te Deum & Jubilate – Croft: Ode for the Peace of Utrecht foi produzido pela Netherlands Bach Society sob direcção de Jos van Veldhoven, em colaboração com a Treaty of Utrecht Foundation para integrar as comemorações dos 300 anos do Tratado, em 2013.


‘O Combate do Giaour e Hassan’, de Delacroix

Tendo como fonte de inspiração Giaour (1813), poema dos Contos Orientais de Lord Byron [1788-1824], Eugène Delacroix [26 Abril 1798 – 13 Agosto 1863]  retrata nesta obra de 1826 a luta entre um giaour cristão (termo turco para infiel, usado no Império Otomano) e um guerreiro muçulmano. 


Eugène Delacroix – The Combat of the Giaour and Hassan

%d bloggers like this: