Archive for the ‘ Religião ’ Category

Bach: a paixão das Paixões

Na semana santa, a proclamação de duas novas leituras das Paixões de São Mateus e de São João para nos recordar que a universalidade da música de Bach nos pode devolver a humanidade, mesmo em momentos de tragédia.


J. S. Bach: Matthäus-Passion, BWV 244 · Harmonia Mundi,2022
Ensemble Pygmalion · Raphaël Pichon


Bach, J.S.: St. John Passion BWV 245 · Deutsche Grammophon, 2022
The Monteverdi Choir · English Baroque Soloists · Sir John Eliot Gardiner

‘O Massacre dos Inocentes’, de Charles Le Brun

De Charles Le Brun [24 Fevereiro 1619 – 12 Fevereiro 1690], figura artística de grande relevo durante a segunda metade do século XVII, a obra Massacre des Innocentsalusiva à ordem do Rei Herodes para matar todas as crianças da cidade após saber do nascimento, em Belém, do Rei dos Judeus – foi uma encomenda de Guillaume Thomas, conselheiro, capelão do Rei e Cónego de Saint-Honoré; Tendo sido iniciada por volta de 1647, permaneceu inacabada até meados da década de 1660, quando foi adquirida por Gédéon Berbier du Metz, guardião do Tesouro Real.


‘Paixão segundo São Marcos’ (atribuída a Reinhard Keiser)

Jesus Christus ist um unsrer Missetat willen verwundet
Jesus Cristo está ferido pela nossa iniquidade

A Paixão de São Marcos, escrita por volta de 1705 e atribuída a Reinhard Keiser [1674-1739] , foi apresentada na Catedral de Hamburgo em 1707 sob direcção de Friedrich Nicolaus Bruhns [1637-1718], que entre os musicólogos disputa a autoria da obra por via da ambiguidade do libreto impresso.

Nas palavras de Joël Suhubiette, que em 2015 dirigiu a gravação do álbum Keiser: Markuspassion, a particularidade desta Paixão reside no facto de o manuscrito que hoje existe ser de Johann Sebastian Bach, que o copiou do original.


Ensembles Jacques-Moderne e Gli Incogniti  · Amandine Beyer, violino · Joël Suhubiette, direcção

‘Adoração dos Magos’, de Jacopo Bassano

De Jacopo Bassano [ca.1515-1592], expoente do maneirismo veneziano, cuja obra revela influências de Lorenzo Lotto e de Ticiano, a obra “Adoração dos Magos” (ca. 1563-1564), que pertence ao acervo do Museu Kunsthistorisches em Viena.


‘Apocalipsis cum figuris’, de Albrecht Dürer

Apocalipse com Imagens (do latim: Apocalipsis cum figuris) é uma série de quinze xilogravuras de Albrecht Dürer [21 Maio 1471 – 6 Abril 1528] que retrata várias cenas do Livro do Apocalipse, ou Livro da Revelação de João, o último Livro do Novo Testamento.
A obra publicada em 1498 foi um grande sucesso em toda a Europa, com destaque para a representação dos Quatro Cavaleiros do Apocalipse.


albrecht-durer-apocalypse


‘Membra Jesu Nostri’, de Dieterich Buxtehude

Dietrich Buxtehude, organista e compositor que se supõe ter nascido em 1637 na Dinamarca, representa, a par de Heinrich Schütz (1585-1672), o expoente máximo do barroco alemão no século XVII. Morreu neste dia 9 de Maio, em 1707.
Por volta de 1680 Buxtehude escreveu Membra Jesu Nostri, com o título completo Membra Jesu nostri patientis sanctissima – em latim “Os membros santíssimos de nosso Jesus sofredor” -, um ciclo de sete Paixões, cada qual dedicada a uma parte do corpo do Cristo crucificado, em ordem ascendente: pés, joelhos, mãos, lado, tórax, coração, rosto. O texto combina versos da Bíblia com versos de um poema devocional medieval.


Álbum: Buxtehude: Membra Jesu Nostri, 2019
Da cantata nº 5, com a palavra bíblica «Sicut modo geniti», o Concerti a 3 voci «Ad pectus»
Carlos Mena, contratenor · Jeffrey Thompson, tenor · Matthias Vieweg, baixo
Ricercar Consort · Philippe Pierlot, viola baixo
Maggie Urquhart, contrabaixo · Daniel Zapico, tiorba · François Guerrier, orgão

‘Madonna of the Carnation’ de Leonardo da Vinci

Leonardo da Vinci [15 Abril 1452 – 2 Maio 1519]
“Senhora da Carnação”, por volta de 1475.

Os gestos concentrados de mãe e filho dão à representação uma emocionalidade incomumente profunda. O menino Jesus alcança um cravo, símbolo da sua morte sacrificial e do amor divino que Maria lhe oferece.


‘A Visão de São Francisco’, de Ludovico Carracci

Ludovico Carracci [21 Abril 1555 – 13 Novembro 1619], pintor, gravador e impressor do Barroco Italiano, foi fundador da Accademia degli Incamminati que ajudou a desenvolver a chamada Escola da Bolonha no final do século XVI.

Ludovico Carracci foi um dos primeiros pintores a explorar o lado emocional da revelação divina. Em A Visão de São Francisco (1585), uma das primeiras obras do artista, ilustrou o episódio em que um dos seguidores de São Francisco testemunhou uma aparição da Virgem entregando o Menino Jesus ao santo, enfatizando a natureza intensamente espiritual da experiência de Francisco. Via Rijksmuseum, Amsterdão.


‘A Sagrada Família com Santa Ana’, de El Greco

Em 2015 o Museu Nacional de Arte Antiga teve como obra convidada “A Sagrada Família com Santa Ana” (ca. 1600), do pintor cretense Doménikos Theotokópoulos, conhecido como “El Greco” [1 Outubro 1541 – 7 Abril 1614]. Esta obra pertence ao Museo Nacional del Prado.


‘Histórias da Paixão de Jesus’, de Pietro Lorenzetti

Pietro Lorenzetti [ca. 1280/85 – ca. 1348] foi um pintor do Trecento italiano, representante da Escola de Siena, que floresceu entre os séculos XIII e XV. Entre 1310 e 1320 participou na grande obra decorativa da Basílica Inferior de Assis – em particular no transepto sul – com afrescos das Histórias da Paixão de Jesus. 


 

%d bloggers like this: