Archive for the ‘ Concerto ’ Category

‘Miles & Quincy Live at Montreux’

Na passagem do trigésimo aniversário da morte de Miles Davis [1926-1991], fica o standard Boplicity – tema de abertura do último álbum que o genial trompetista gravou em Julho de 1991, no Festival de Jazz de Montreux, acompanhado de um Ensemble dirigido por Quincy Jones.


“Bill Evans Live at Ronnie Scott’s”

Durante a digressão europeia de 1968, o Trio do pianista e compositor de jazz norte-americano Bill Evans [16 Agosto 1929 – 15 Setembro 1980], com Eddie Gomez (baixo)  e Jack DeJohnette (bateria), gravou ao vivo em Junho a aclamada presença no Festival de Jazz de Montreux  e uns dias mais tarde em sessão de estúdio Some Other Time: The Lost Session from The Black Forest.
Em Julho, o trio apresentou-se no Clube de jazz londrino Ronnie Scott, trabalho que foi lançado em 2020 pela Resonance Records, autora deste pequeno mas precioso documentário que contextualiza a gravação do álbum, disponível no Spotify.


John Coltrane – Live in Japan (1966)

Em Julho de 1966, John Coltrane deu três concertos em Tóquio: a 6, 11 e 22.
O tema Peace on Earth fez parte do alinhamento das segunda e terceira actuações, esta última precisamente há 55 anos no Shinjuku Welfare Pension Center.


Pharoah Sanders, saxofones  | John Coltrane, saxofones
Jimmy Garrison, baixo | Alice Coltrane, piano | Rashied Ali, bateria

Yes – Live at Montreux

O tema Awaken, originalmente gravado em 1977 para o álbum Going for the One, aqui interpretado ao vivo em 14 Julho 2003 em Montreux.
Músicos: Jon Anderson, Steve Howe, Rick Wakeman, Chris Squire e Alan White.

‘Amazônia’, música para respirar

Após Welcome To The Other Side (Concert From Virtual Notre-Dame) no final de 2020, Jean-Michel Jarre gravou recententemente um trabalho para acompanhar a Exposição Amazônia, um projecto do fotógrafo e cineasta Sebastião Salgado que percorreu a Amazónia brasileira durante seis anos, reuniu mais de 200 fotos sobre a floresta, os rios, as montanhas, as pessoas.
No centro da exposição que vai passar pela Europa e pela América do Sul está um convite para ver, ouvir e pensar sobre o futuro da biodiversidade e o lugar do homem no mundo vivo. 

Serão no total 30 reportagens sobre 13 tribos, com muita fotografia aérea, porque assim é possível transmitir uma ideia da grande extensão da floresta e dos rios. O maior volume de água no Amazonas advém das evaporações, autênticas correntes aéreas de humidade que garantem a chuva em grande parte do planeta sob a forma de nuvens. Creio que esta série de fotografias do sistema montanhoso do Amazonas vai surpreender, pela impressão de estar nos Alpes, que é colossal. A última reportagem será sobre animais.Sebastião Salgado

indioamazonia
Quarenta e cinco anos depois de “Oxygène”, Jarre continua a fazer música para respirar,  inspirado pelo pulmão do planeta, de forma respeitosa e poética. A paisagem sonora da música de Jean-Michel Jarre, que fará os visitantes da exposição mergulharem no mundo da floresta, foi também gravada em áudio binaural, para uma experiência mais envolvente.

Dia Europeu da Música Antiga e de J.S.Bach

No início da Primavera, a REMA (Réseau Européen de Musique Ancienne / European Early Music Network) e a EBU (União Europeia de Radiodifusão) organizam desde 2013 o Dia Europeu da Música Antiga com a realização de concertos em diversos países. Simultaneamente, assinala-se o aniversário do nascimento de Johann Sebastian Bach [21 Março 1685 – 28 Julho 1750].


Álbum: Bach: ‘Meins Lebens Licht’ – Cantatas BWV 45-198 & Motet BWV 118, 2021
Collegium Vocale Gent, direcção de Philippe Herreweghe

‘People Time: The Complete Recordings’ – ‘First Song’

People Time: The Complete Recordings é um conjunto de sete CDs de jazz do saxofonista Stan Getz [2 Fevereiro 1927 – 6 Junho 1991] e do pianista Kenny Barron, e foi gravado entre 3 e 6 de Março de 1991 no Jazzhus Montmartre em Copenhaga, três meses antes da morte de Getz. A colectânea seria lançada apenas em 2010.
Do primeiro set, gravado precisamente há 30 anos, fica a quarta composição “First Song”, escrita por Charlie Haden.


‘At Carnegie Hall’ – Dave Brubeck Quartet

At Carnegie Hall foi gravado ao vivo a 22 de Fevereiro de 1963 pelo Quarteto de Dave Brubeck.


Dave Brubeck, piano | Paul Desmond, sax alto | Joe Morello, bateria | Eugene Wright, baixo

‘Vespro della Beata Vergine’, de Claudio Monteverdi

A obra de Monteverdi exerceu uma grande influência, não apenas sobre compositores seus contemporâneos mas também sobre um grande número de músicos durante os séculos que lhe sucederam até aos dias de hoje, fruto da modernidade da sua escrita. Entre as suas principais realizações estão as “Vespro della Beata Vergine”, publicadas em 1610 em Veneza.

O início de 2020 ficou marcado pela apresentação das Vésperas em Nova York pelo Ensemble Green Mountain – TENET Vocal Artists, projecto concebido pela soprano Jolle Greenleaf (direcção artística) e pelo violinista Scott Metcalfe (direcção musical).

Sendo a Sonata sopra “Sancta Maria ora pro nobis” a minha peça favorita, desta gravação gostava de destacar o salmo Duo Seraphim, pelo diálogo entre os tenores James Reese e Jason McStoots.

 

‘Concierto de Aranjuez: Adagio’ – The Modern Jazz Quartet

Esta versão do ‘Concierto de Aranjuez: Adagio’ foi extraída do duplo álbum The Complete Last Concert, gravado ao vivo pelo The Modern Jazz Quartet em 25 de Novembro de 1974 no Lincoln Center for the Performing Arts, New York.


Milt Jackson, vibrafone – John Lewis, piano – Percy Heath, contrabaixo – Connie Kay, bateria

%d bloggers like this: