Archive for the ‘ Breve Biografia ’ Category

‘Live At The Plugged Nickel’, Chicago

Ainda e sempre o standard “Stella by Starlight” (minuto 13:16), integrado na série de oito discos gravados ao vivo no Clube Plugged Nickel de Chicago, activo durante grande parte da década de sessenta.
Pouco antes do Natal de 1965, a composição do segundo Quinteto de Miles Davis, incluindo Herbie Hancock no piano acústico, Ron Carter no baixo, Tony Williams na bateria e Wayne Shorter (nascido neste dia 25 de Agosto em 1933) a substituir George Coleman no saxofone tenor, recupera os solos da explosão criativa de finais da década de 50.

Anúncios

‘Django’, de Modern Jazz Quartet

Fundado em 1952, o Modern Jazz Quartet teve em John Lewis [1920-2001] – piano e direcção musical – e Milt Jackson [1923-1999] no vibrafone os principais elementos da formação, que apresentava um jazz mais do que respeitável. Acompanhados pelo contrabaixo de Percy Heath [1923-2005] e pela bateria de Connie Kay [1927-1994], gravaram em 1959 o elegante álbum Pyramid, do qual fica aqui a composição Django (John Lewis) gravada em 22 Agosto 1959.

‘Lamento de Íole’, de Jacopo Peri

De Jacopo Peri [20 Agosto 1561 – 12 Agosto 1633], compositor pioneiro do estilo recitativo, com origem na Grécia Antiga e que se viria a transformar naquilo a que hoje chamamos ópera, o ‘Lamento de Íole’, com a voz de Montserrat Figueras e o cravo de Ton Koopman.


Héracles, que havia morto o Rei Eurytus e saqueado a cidade de Oechalia com intenção de levar a sua bela filha Iole como noiva, encarregou Filoctetes (então amante de Iole) de comunicar à Princesa a sua decisão de a desposar. Sabendo da relação entre Iole e Filoctetes, Hércules impõe o casamento como forma de poupar a vida ao desgraçado amante. Dejanira decide então ajudar Iole, oferecendo-lhe a túnica ensanguentada do centauro Nesso, trespassado por uma seta envenenadade de Héracles ao tentar violar Dejanira; Agonizante, Nesso dissera a Dejanira que a túnica com o seu sangue tinha poderes mágicos e que se Héracles a usasse,ser-lhe-ia novamente fiel. Porém, a túnica estava impregnada de um terrível veneno e, no dia do casamento, quando Iole oferece a túnica a Héracles, este, ao vesti-la, percebe que o veneno se infiltra no corpo. Desesperado, Héracles lança-se às chamas e sobe ao Monte Olimpo, onde se juntou a Zeus.

‘Silhouettes’, de Klaus Schulze

Foi no centro da explosão da electrónica Krautrock, onde pontificavam nomes como Kraftwerk, Neu! e Can, que surgiu a banda Tangerine Dream, em 1967.
Entre 1969 e 1970, Klaus Schulze, que neste dia 4 Agosto 2019 completa 72 anos, fez parte da formação liderada por Edgar Froese.
Em 1971, com o guitarrista Manuel Göttsching, formou a banda Ash Ra Tempel, colaborou ao longo da década de setenta com os grupo The Cosmic Jokers e Go.
Da carreira a solo de Schulze, que conta com mais de seis dezenas de trabalhos, o álbum “Silhouettes” (2018) tem um tema de que gosto particularmente, o segundo movimento Der lange Blick zurück.

‘It’s Alright with Me’, de Brad Mehldau

Do álbum “Live at the Village Vanguard: The Art of the Trio Volume Two“, gravado ao vivo entre 29 Julho e 3 Agosto 1997 pelo pianista Brad Mehldau, a interpretação do tema “It’s Alright with Me” de Cole Porter [1891-1964].

Brad Mehldau, piano | Larry Grenadier, contrabaixo | Jorge Rossy, bateria

‘Remembering Tomasz Stanko’

Homenagem ao virtuoso trompetista e compositor Tomasz Stańko [11 Julho 1942 – 29 Julho 2018]. Pelo modo como deixava o trompete respirar, era por vezes apelidado de Miles Davis polaco.
A primeira gravação para a ECM ocorreu em 1976 com Balladyna e teve a participação de Dave Holland. Em 1981, colaborou no álbum de Gary Peacock Voice from the Past – Paradigm com Jan Garbarek e Jack DeJohnette. Ainda durante a década de 80 integrou a Cecil Taylor’s big band.
Com o seu Quarteto, gravou Suspended Night em 2004 e Lontano em 2006, ambos aclamados nos EUA e na Europa. O último trabalho de Tomasz Stańko que Manfred Eicher produziu para a ECM foi December Avenue de 2017.

‘Dutch Baroque School’ plays Bach

Violoncelista principal da Royal Concertgebouw Orchestra Amsterdam entre 1962 e 1968, Anner Bylsma [1934-2019] foi o grande pioneiro da interpretação historicamente informada com o violoncelo.
A parceria com Frans Brüggen [1934-2014] e Gustav Leonhardt [1928-2012] contribuiu para a divulgação do repertório barroco.
A sua gravação das Suites para violoncelo solo de Bach foi a primeira com instrumento de época.
Para um conhecimento mais pormenorizado do trabalho de Anner Bylsma, fica esta ligação (via Cristina Fernandes).

Johann Sebastian Bach – The Complete Sonatas For Flute and Continuo
Frans Bruggen, baroque flute | Gustav Leonhardt, harpsichord | Anner Bylsma, barockvioloncello


Anúncios
%d bloggers like this: