Archive for the ‘ Breve Biografia ’ Category

‘Da Pacem Domine’, by Arvo Pärt

Arvo Pärt, estonian composer born on this day in 1935, wrote the prayer of peace “Da pacem Domine” to fulfil a commission from Jordi Savall. He began to set this ninth-century Gregorian antiphon two days after the Madrid bombings on 11 March 2004 as his personal tribute to the victims. Since then Da pacem Domine has been performed every year in Spain to commemorate the victims of this terrorist attack. Even while originally composing this four-voice piece, Pärt made allowances for variable scorings. As a result, it exists in several versions, not only for voice but also entirely for instruments.

Performers: Ensemble Vocale Odhecaton, Paolo Da Col

Anúncios

‘Live At The Plugged Nickel’, Chicago

Ainda e sempre o standard “Stella by Starlight” (minuto 13:16), integrado na série de oito discos gravados ao vivo no Clube Plugged Nickel de Chicago, activo durante grande parte da década de sessenta.
Pouco antes do Natal de 1965, a composição do segundo Quinteto de Miles Davis, incluindo Herbie Hancock no piano acústico, Ron Carter no baixo, Tony Williams na bateria e Wayne Shorter (nascido neste dia 25 de Agosto em 1933) a substituir George Coleman no saxofone tenor, recupera os solos da explosão criativa de finais da década de 50.

‘Django’, de Modern Jazz Quartet

Fundado em 1952, o Modern Jazz Quartet teve em John Lewis [1920-2001] – piano e direcção musical – e Milt Jackson [1923-1999] no vibrafone os principais elementos da formação, que apresentava um jazz mais do que respeitável. Acompanhados pelo contrabaixo de Percy Heath [1923-2005] e pela bateria de Connie Kay [1927-1994], gravaram em 1959 o elegante álbum Pyramid, do qual fica aqui a composição Django (John Lewis) gravada em 22 Agosto 1959.

‘Lamento de Íole’, de Jacopo Peri

De Jacopo Peri [20 Agosto 1561 – 12 Agosto 1633], compositor pioneiro do estilo recitativo, com origem na Grécia Antiga e que se viria a transformar naquilo a que hoje chamamos ópera, o ‘Lamento de Íole’, com a voz de Montserrat Figueras e o cravo de Ton Koopman.


Héracles, que havia morto o Rei Eurytus e saqueado a cidade de Oechalia com intenção de levar a sua bela filha Iole como noiva, encarregou Filoctetes (então amante de Iole) de comunicar à Princesa a sua decisão de a desposar. Sabendo da relação entre Iole e Filoctetes, Hércules impõe o casamento como forma de poupar a vida ao desgraçado amante. Dejanira decide então ajudar Iole, oferecendo-lhe a túnica ensanguentada do centauro Nesso, trespassado por uma seta envenenadade de Héracles ao tentar violar Dejanira; Agonizante, Nesso dissera a Dejanira que a túnica com o seu sangue tinha poderes mágicos e que se Héracles a usasse,ser-lhe-ia novamente fiel. Porém, a túnica estava impregnada de um terrível veneno e, no dia do casamento, quando Iole oferece a túnica a Héracles, este, ao vesti-la, percebe que o veneno se infiltra no corpo. Desesperado, Héracles lança-se às chamas e sobe ao Monte Olimpo, onde se juntou a Zeus.

‘Silhouettes’, de Klaus Schulze

Foi no centro da explosão da electrónica Krautrock, onde pontificavam nomes como Kraftwerk, Neu! e Can, que surgiu a banda Tangerine Dream, em 1967.
Entre 1969 e 1970, Klaus Schulze, que neste dia 4 Agosto 2019 completa 72 anos, fez parte da formação liderada por Edgar Froese.
Em 1971, com o guitarrista Manuel Göttsching, formou a banda Ash Ra Tempel, colaborou ao longo da década de setenta com os grupo The Cosmic Jokers e Go.
Da carreira a solo de Schulze, que conta com mais de seis dezenas de trabalhos, o álbum “Silhouettes” (2018) tem um tema de que gosto particularmente, o segundo movimento Der lange Blick zurück.

‘It’s Alright with Me’, de Brad Mehldau

Do álbum “Live at the Village Vanguard: The Art of the Trio Volume Two“, gravado ao vivo entre 29 Julho e 3 Agosto 1997 pelo pianista Brad Mehldau, a interpretação do tema “It’s Alright with Me” de Cole Porter [1891-1964].

Brad Mehldau, piano | Larry Grenadier, contrabaixo | Jorge Rossy, bateria

‘Remembering Tomasz Stanko’

Homenagem ao virtuoso trompetista e compositor Tomasz Stańko [11 Julho 1942 – 29 Julho 2018]. Pelo modo como deixava o trompete respirar, era por vezes apelidado de Miles Davis polaco.
A primeira gravação para a ECM ocorreu em 1976 com Balladyna e teve a participação de Dave Holland. Em 1981, colaborou no álbum de Gary Peacock Voice from the Past – Paradigm com Jan Garbarek e Jack DeJohnette. Ainda durante a década de 80 integrou a Cecil Taylor’s big band.
Com o seu Quarteto, gravou Suspended Night em 2004 e Lontano em 2006, ambos aclamados nos EUA e na Europa. O último trabalho de Tomasz Stańko que Manfred Eicher produziu para a ECM foi December Avenue de 2017.

Anúncios
%d bloggers like this: