Archive for the ‘ Breve Biografia ’ Category

‘Dial “S” for Sonny’

Do pianista de jazz Sonny Clark [1931-1963], nascido neste dia 21 de Julho há 90 anos, o tema Dial “S” for Sonny, que deu o título ao primeiro álbum de estúdio que gravou para a Blue Note nos Estúdios de Rudy Van Gelder, Nova Jérsia, precisamente no dia do seu vigésimo sexto aniversário, em 21 de Julho de 1957.


Sonny Clark, piano | Art Farmer, trompete | Curtis Fuller, trombone
Hank Mobley, saxofone tenor | Wilbur Ware, contrabaixo | Louis Hayes, bateria

500º aniversário do nascimento de Philippe de Monte

O Musica Aeterna dedicou uma emissão aos 500 anos do nascimento de Philippe de Monte [1521 – 4 Julho 1603], compositor franco-flamengo do final do Renascimento que ocupou o cargo de Hofkapellmeister em Viena e Praga, onde serviu a Corte Imperial dos Habsburgos durante trinta e cinco anos.

Em Abril passado, a Outhere Music reuniu no álbum Philippe De Monte: Madrigals and Chansons temas da colecção Delícias Harmónicas (1612) e do Livro primo de Madrigais a cinco vozes (1554), tendo como intérprete o grupo Ratas del Viejo Mundo


‘Sonata para violino’, de Élisabeth Jacquet de La Guerre (II)

De Élisabeth Jacquet de La Guerre [17 Março 1665 – 27 Junho 1729], o primeiro andamento da Sonata para violino em Lá maior nº 6 – Allemande.


Álbum: Jacquet de La Guerre: Violin Sonatas Nos. 1-6, 2017
Patxi Montero, violão baixo | Lina Tur Bonet, violino | Kenneth Weis, cravo

‘Gemmulae Evangeliorum’, de Melchior Franck

Melchior Franck [Zittau, ca. 1579 – Coburg, 1 Junho 1639], compositor protestante alemão activo durante a transição do Renascimento para o Barroco, exerceu desde 1603 até ao fim da vida o cargo de Kapellmeister da corte de Coburg. No início da sua formação foi aluno de Hans Leo Hassler.

O trabalho de Franck inclui música sacra em alemão e latim, motetos, salmos e música sacra, como os conhecidos Gemmulae Evangeliorum em quatro partes (também publicados como Provérbios do Evangelho em 1623).

Em 2020, o Ensemble Vocal  Cantus Thuringia, dirigido pelo contratenor Christoph Dittmar reuniu em disco perto de duas dezenas de canções sagradas e motetos no álbum Melchior Franck: Geistliche Gesäng und Melodeyen.


Geistliche Gesäng und Melodeyen: No. 18, Da ging meine Seele heraus
Cantus Thuringia · Capella Thuringia · Lachrimae Consort Weimar

‘Armonico Tributo’, de Georg Muffat (II)

Georg Muffat [1 Junho 1653 – 23 Fevereiro 1704], compositor e organista do período barroco, nasceu em França, na região de Sabóia. Passou a adolescência em Paris, onde foi aluno da figura dominante na música francesa, Jean-Baptiste Lully. Após uma passagem por Praga em 1677, trabalhou como organista  e músico de câmara do Arcebispado de Salsburgo até 1680, onde foi contemporâneo de Heinrich Ignaz Franz Biber.

Nos dois anos seguintes esteve em Itália, onde conheceu Arcangelo Corelli e foi precisamente em 1682 que publicou o seu conjunto de sonatas Armonico Tributo. Desde 1690 até à data da morte, Georg Muffat foi Kapellmeister na Diocese de Passau, Alemanha.


Álbum – Muffat: Armonico Tributo (2019) – Sonata No.3 em Lá maior
Ensemble Barroco 415 | Chiara Banchini

‘Canzoni’, de Giovanni Picchi

Giovanni Picchi [ca. 1571 – 17 Maio 1643], compositor italiano do início do período barroco e seguidor da escola veneziana, contribuiu para o desenvolvimento e diferenciação das formas instrumentais da época, como a sonata e a canzona – composição instrumental do Renascimento que deriva da chanson polifónica francesa.

Em 1625, Picchi escreveu uma colecção de 19 canzoni da sonar con ogni sorte d’istromenti para 2-4, 6 e 8 vozes com baixo contínuo, que o Ensemble Concerto Scirocco gravou em 2020 com direcção artística de Giulia Genini.


‘Concertos para violino’, de Jean-Marie Leclair

Jean-Marie Leclair [Lyon, 10 Maio 1697- Paris, 22 Outubro 1764], compositor do barroco francês e o mais eminente violinista francês da sua época, ficou célebre pelas suas sonatas e pelos concertos para violino.
Do primeiro volume da série de gravações dos concertos para violino de Leclair que a violinista suíça Leila Schayegh publicou em 2019 na Glossa, fica o Concerto em Sol menor, Op 10 nº 6 interpretado pela La Cetra Barockorchester de Basileia.


‘Membra Jesu Nostri’, de Dieterich Buxtehude

Dietrich Buxtehude, organista e compositor que se supõe ter nascido em 1637 na Dinamarca, representa, a par de Heinrich Schütz (1585-1672), o expoente máximo do barroco alemão no século XVII. Morreu neste dia 9 de Maio, em 1707.
Por volta de 1680 Buxtehude escreveu Membra Jesu Nostri, com o título completo Membra Jesu nostri patientis sanctissima – em latim “Os membros santíssimos de nosso Jesus sofredor” -, um ciclo de sete Paixões, cada qual dedicada a uma parte do corpo do Cristo crucificado, em ordem ascendente: pés, joelhos, mãos, lado, tórax, coração, rosto. O texto combina versos da Bíblia com versos de um poema devocional medieval.


Álbum: Buxtehude: Membra Jesu Nostri, 2019
Da cantata nº 5, com a palavra bíblica «Sicut modo geniti», o Concerti a 3 voci «Ad pectus»
Carlos Mena, contratenor · Jeffrey Thompson, tenor · Matthias Vieweg, baixo
Ricercar Consort · Philippe Pierlot, viola baixo
Maggie Urquhart, contrabaixo · Daniel Zapico, tiorba · François Guerrier, orgão

‘Motets pour la chapelle du roi’, de Henry Du Mont

Henry Du Mont [1610 – 8 Maio 1684], organista e compositor do barroco francês, cuja carreira decorreu principalmente na Igreja de Saint-Paul-Saint-Louis em Paris, foi uma figura relevante durante o reinado de Luís XIV – o Rei-Sol, e fonte de inspiração para compositores como Michel-Richard Delalande [1657-1726] e Jean-Baptiste Lully [1632-1687]


Álbum: Henry du Mont: O mysterium, 2016
Ensemble Correspondances · Sébastien Daucé
Motets pour la Chapelle du Roy: O mysterium

‘Pièces De Clavecin’, de François d’Agincourt

François d’Agincourt [1684 – 30 Abril 1758], cravista e compositor do barroco francês, trabalhou como organista da Cathédrale Notre-Dame na cidade natal de Rouen.
O seu único livro de música para cravo que sobreviveu – 1er livre de clavecin (Paris, 1733) contém quarenta e três peças, inspiradas por François Couperin:

« Je n’ay rien changé aux agrémens ny a la manière de toucher de celle que Monsieur Couperin a si bien désignée et caractérisée et dont presque touttes les personnes de l’art font usage.»

Do álbum François D’Agincour – Pièces De Clavecin – peças de cravo dedicadas à Rainha Maria Antonieta (Glossa, 2001), a Allemande: La Couperin – Quatrième Ordre (En Mi Mineur), com Hervé Niquet no cravo.


%d bloggers like this: