Archive for the ‘ YouTube ’ Category

‘Concierto de Aranjuez: Adagio’, de Miles Davis & Gil Evans

O álbum Sketches of Spain foi gravado nos estúdios da Columbia em NYC a 15 e 20 de Novembro de 1959 e a 10 de Março de 1960.
A peça central das cinco faixas que compunham o alinhamento do LP original, lançado a 18 de Julho de 1960, é Concierto de Aranjuez (Adagio), originalmente escrita para violão e orquestra por Joaquin Rodrigo em 1939. Com arranjo e direcção de Gil Evans, foi gravada a 20 de Novembro, com mais de vinte músicos a integrarem as diversas secções da orquestra.



O Concierto De Aranjuez (Adagio) (part one, alternate take), que não fazia parte do álbum original, foi gravado a 15 de Novembro (a parte dois foi gravada a 20 de Novembro) e todas as restantes faixas foram gravadas a 10 de Março de 1960.


‘Roll Call’, de Hank Mobley

O saxofonista tenor Hank Mobley [7 Julho 1930 – 30 Maio 1986] gravou para a Blue Note Roll Call em 13 de Novembro de 1960, precisamente há 60 anos, nos estúdios de Rudy Van Gelder. Tal como para o excepcional Soul Station, gravado em Fevereiro desse ano, Mobley reuniu um notável conjunto de músicos da era do hard bop, como Wynton Kelly (piano), Paul Chambers (contrabaixo), Art Blakey (bateria) e Freddie Hubbard (trompete) – Soul Station não contou com a participação do trompetista.


‘Footloose’, de Paul Bley

De Paul Bley [10 Novembro 1932 – 3 Janeiro 2016], pianista canadiano influente no movimento free jazz durante a década de 1960, o tema ‘Floater‘, uma das composições de Carla Bley para o álbum ‘Footloose‘- Savoy, 1962-63.


Paul Bley, piano | Steve Swallow, baixo | Pete LaRoca, bateria

‘Journey in Satchidananda’, de Alice Coltrane (II)

Com excepção do último tema ‘Isis e Osíris’, todo o alinhamento de ‘Journey in Satchidananda’ de Alice Coltrane foi gravado precisamente há 50 anos, a 8 de Novembro de 1970 em Dix Hills, Long Island, local de nascimento de John Coltrane.
Fica o tema de abertura e que dá o nome ao álbum.


‘Lonely Woman’, de Horace Silver

Gravado em 31 Outubro 1963, ‘Lonely Woman’ é o último tema do álbum ‘Song For My Father’, que Horace Silver editou em 1964 na Blue Note.

Gene Taylor, contrabaixo | Roy Brooks, bateria | Horace Silver, piano


‘Essercizi per gravicembalo’, de Domenico Scarlatti

Domenico Scarlatti [Nápoles, 26 Outubro 1685 – Madrid, 23 Julho 1757], virtuoso compositor do barroco tardio de quem se comemorou em 2019 o terceiro centenário da chegada a Lisboa, após ter sido contratado para o cargo de compositor da corte por D. João V em 1719, foi professor de cravo da infanta D. Maria Bárbara, que acompanharia após o casamento desta com o futuro rei espanhol, Fernando VI. Intérprete de grandes recursos, a princesa marcaria profundamente a evolução artística do compositor. A simbiose professor-aluna foi tão estreita que Scarlatti passou o resto da vida ao seu serviço, mantendo igualmente laços com Portugal – a primeira colecção de peças que publicou, os “Essercizi per Gravicembalo”, foi dedicada a D. João V em agradecimento pelo título de cavaleiro da Ordem de Santiago. Esta colecção, editada em Londres em 1739, deu-lhe fama internacional. […]
Texto de Cristina Fernandes


Scarlatti: The Complete Keyboard Works, Vol. 1: Sonatas, Kk. 1 – 30 “Essercizi”
Keyboard Sonata in D Minor, Kk. 9 · Scott Ross

‘O splendor gloriae’, de John Taverner

Para celebrar a música de John Taverner [c. 1490 – 18 Outubro 1545],  ao lado do contemporâneo Tomas Tallis [c. 1505 -1585], indubitavelmente os mais notáveis compositores de música sacra do Renascimento inglês no seu tempo, o moteto O splendor gloriae para cinco vozes, uma das obras-primas da polifonia britânica do séc. XVI incluídas no álbum ‘The Phoenix Rising‘[2012], interpretado pelo Grupo britânico Stile Antico que tive oportunidade de ouvir em Outubro de 2011 na Sé de Évora.


II Festival de Música Antiga de Torres Vedras

O II Festival de Música Antiga de Torres Vedras tem início este fim de semana na Igreja de Santa Maria Madalena, Turcifal, com música da polifonia portuguesa e europeia dos séculos XVI e XVII. O concerto do Ensemble Vocal São Tomás de Aquino sob o tema “A POLIFONIA RENASCENTISTA EM DIÁLOGO COM A CONTEMPORANEIDADE” terá lugar domingo 18 Outubro 2020.

II Festival de Música Antiga de Torres Vedras [18 Outubro a 1 Novembro 2020]

No concerto de dia 25 de Outubro, na Igreja de Nossa Senhora da Graça, Póvoa de Penafirme, o programa sacro e profano “SU CETERA D`OR” com Adriana Romero (Soprano) e Hugo Sanches (Alaúde e Tiorba), incluirá obras de Robert de Viseé, John Downland, Alonso Mudarra, Henry Purcell, entre outros.

A 1 de Novembro na Igreja de Nossa Senhora da Graça, Torres Vedras, o Ensemble Barroco “Alma Veteras” apresenta composições de Corelli, Telemann e Vivaldi, dialogando com textos universalmente consagrados pela literatura, aqui declamados pelo actor Paulo Oom.

Todos os concertos têm início às 16h00, com transmissão no canal do Youtube da Câmara Municipal de Torres Vedras.

Jacques Arcadelt

Jacques Arcadelt [c. 1507 – 14 Outubro 1568], prolífico compositor franco-flamengo do Renascimento, legou à música sacra 24 motetos, 3 missas, umas Lamentações de Jeremias e um Magnificat; como compositor de música secular, deixou 125 canções francesas e foi, dos primeiros madrigalistas, um dos mais notáveis, com a produção de aproximadamente 250 obras, superando o contemporâneo Bernardo Pisano.

Do primeiro livro de madrigais para quatro vozes [Veneza,1539], Il bianco e dolce cigno, do segundo cd do álbum triplo Jacques Arcadelt: Motetti – Madrigali – Chansons [2018], pelo ensemble vocal belga Choeur de Chambre de Namur fundado em 1987, pelo ensemble Cappella Mediterranea, fundado em 2005 por Leonardo Garcia Alarcón e pelo ensemble francês Doulce Mémoire, fundado em 1989 por Denis Raisin-Dadre.


Claudin de Sermisy

Claudin de Sermisy [c.1490 – 13 Outubro 1562], compositor natural de Paris, esteve a maior parte da sua existência como cantor e mestre de coro ao serviço da corte francesa. Foi autor de uma dúzia de missas, publicou três livros de motetos, tendo no entanto sido a centena e meia de canções polifónicas por si compostas que lhe trouxeram maior notoriedade.

Resurrexi, et adhuc tecum sum, do álbum Sermisy: Tenebrae, Motets [1984], interpretado pelo Ensemble Clément Janequin, fundado em 1978 por Dominique Visse e especializado em música francesa do período de transição entre o Renascimento e o Barroco.


%d bloggers like this: