Posts Tagged ‘ Blue Note Records ’

‘Luna’, de Freddie Hubbard

Do terceiro álbum “Hub Cap” que Freddie Hubbard gravou para a Blue Note nos Estúdios Van Gelder Studio em Nova Jérsia no dia 9 de Abril de 1961, precisamente há 60 anos, o último tema do lado A Luna contou com a seguinte formação:
Freddie Hubbard – trompete, Julian Priester – trombone, Jimmy Heath – saxofone tenor, Cedar Walton – piano, Larry Ridley – baixo, Philly Joe Jones – bateria.


‘Where Do We Go?’, de Bill Frisell

No dia do septuagésimo aniversário de Bill Frisell, guitarrista de jazz e compositor norte-americano que se notabilizou pela longa colaboração de duas décadas no Trio do baterista Paul Motian juntamente com o saxofonista Joe Lovano, o tema Where Do We Go? do álbum Valentine (2020), o mais recente trabalho de Frisell na Blue Note Records.


‘Philly Twist’, de Kenny Dorham

Dedicado ao baterista Philly Joe Jones [1923-1985], ‘Philly Twist’ é o tema de abertura do álbum de estúdio Whistle Stop de Kenny Dorham [1914-1972], gravado para a Blue Note a 15 de Janeiro de 1961, precisamente há sessenta anos.


Kenny Dorham, trompete · Hank Mobley, saxofone tenor · Kenny Drew, piano
Paul Chambers , contrabaixo · Philly Joe Jones, bateria

‘Body and Soul’, de Freddie Hubbard

Com apenas 24 anos, o trompetista Freddie Hubbard [7 Abril 1938 – 29 Dezembro 2008] tem um desempenho notável na interpretação do standard Body and Soul, o último tema do lado A do duplo álbum ‘Here To Stay’, gravado a 27 de Dezembro de 1962 mas que só veria a luz do dia em 1976, pela Blue Note.


Freddie Hubbard, trompete · Wayne Shorter, saxofone tenor · Cedar Walton, piano
Reggie Workman, baixo · Philly Joe Jones, bateria

‘Roll Call’, de Hank Mobley

O saxofonista tenor Hank Mobley [7 Julho 1930 – 30 Maio 1986] gravou para a Blue Note Roll Call em 13 de Novembro de 1960, precisamente há 60 anos, nos estúdios de Rudy Van Gelder. Tal como para o excepcional Soul Station, gravado em Fevereiro desse ano, Mobley reuniu um notável conjunto de músicos da era do hard bop, como Wynton Kelly (piano), Paul Chambers (contrabaixo), Art Blakey (bateria) e Freddie Hubbard (trompete) – Soul Station não contou com a participação do trompetista.


‘Lonely Woman’, de Horace Silver

Gravado em 31 Outubro 1963, ‘Lonely Woman’ é o último tema do álbum ‘Song For My Father’, que Horace Silver editou em 1964 na Blue Note.

Gene Taylor, contrabaixo | Roy Brooks, bateria | Horace Silver, piano


‘Out To Lunch!’, de Eric Dolphy

Hat and Beard é o tema de abertura do álbum Out To Lunch!, o legado de Eric Dolphy [20 Junho 20, 1928 – 29 Junho 1964] à  Blue Note. A gravação teve lugar nos estúdios Van Gelder em New Jersey a 25 de Fevereiro do ano da morte de Dolphy e contou com a colaboração de Freddie Hubbard no trompete, Bobby Hutcherson no vibrafone, Richard Davis no contrabaixo e Tony Williams na bateria.  
Nos primeiros anos da década de 60, Dolphy teve parcerias relevantes com Charles Mingus e John Coltrane.

‘Empyrean Isles’, de Herbie Hancock

No dia 17 de Junho de 1964 Herbie Hancock contou com a colaboração de Ron Carter, Freddie Hubbard e Reid Miles para gravar o seu quarto álbum para a Blue Note, Empyrean IslesDe referir que no ano anterior integrara o segundo Quinteto de Miles Davis, com Wayne Shorter, Ron Carter e Tony Williams.

‘One Flight Up’, de Dexter Gordon

Gravado em 2 Junho 1964 para a Blue Note nos estúdios da CBS em Paris, One Flight Up contou com a participação de: Donald Byrd [1932-2013], trompete e autor do tema Tanya * Dexter Gordon [1923-1990], saxofone tenor * Kenny Drew [1928-1993], piano * Niels-Henning Orsted Pedersen [1946-2005], contrabaixo * Art Taylor [1929-1995], bateria.

Having a few earlier Dexter albums where he solos more or less continuously, it’s great to find him give lots of space to the other players, particularly in the Byrd-penned “Tanya” which  occupies all of side one, almost eighteen minutes. A minor modal vamp, shifting backwards and forwards, resolving in a boppish rhythmic romp, only to restart. Dexter is quietly restrained, Byrd plays to Hubbard, Drew plays to Pearson and Hancock, Taylor mixes Blakey with a touch of Williams, and NHOP walks dreamlike through the 18 minute space. Choose your own analogies and adjectives, hypnotic, intoxicating stuff. – The LondonJazzCollector.

60 anos de ‘Soul Station’, de Hank Mobley

Do álbum ‘Soul Station’ de Hank Mobley, gravado nos Estúdios de Rudy Van Gelder em 7 Fevereiro 1960, o tema que dá o título ao álbum.

Paul Chambers [1935-1969], baixo | Art Blakey [1919-1990], bateria
Wynton Kelly [1931-1971], piano | Hank Mobley [1930-1996], saxofone tenor


<span>%d</span> bloggers like this: