Archive for the ‘ Pintura ’ Category

‘A Visão de São Francisco’, de Ludovico Carracci

Ludovico Carracci [21 Abril 1555 – 13 Novembro 1619], pintor, gravador e impressor do Barroco Italiano, foi fundador da Accademia degli Incamminati que ajudou a desenvolver a chamada Escola da Bolonha no final do século XVI.

Ludovico Carracci foi um dos primeiros pintores a explorar o lado emocional da revelação divina. Em A Visão de São Francisco (1585), uma das primeiras obras do artista, ilustrou o episódio em que um dos seguidores de São Francisco testemunhou uma aparição da Virgem entregando o Menino Jesus ao santo, enfatizando a natureza intensamente espiritual da experiência de Francisco. Via Rijksmuseum, Amsterdão.


‘Los pichones’, de Picasso

Pablo Ruiz Picasso [Málaga, 25 Outubro 1881 – Mougins, 8 Abril 1973]
«Los pichones» – Cannes, 1957


‘A Sagrada Família com Santa Ana’, de El Greco

Em 2015 o Museu Nacional de Arte Antiga teve como obra convidada “A Sagrada Família com Santa Ana” (ca. 1600), do pintor cretense Doménikos Theotokópoulos, conhecido como “El Greco” [1 Outubro 1541 – 7 Abril 1614]. Esta obra pertence ao Museo Nacional del Prado.


«El 2 de mayo de 1808 en Madrid o “La lucha con los mamelucos”», de Francisco de Goya

Nos 275 anos do nascimento de Francisco de Goya [30 Março 1746 – 16 Abril 1828], duas obras do mesmo período: El 2 de mayo de 1808 en Madrid o “La lucha con los mamelucos” e El 3 de mayo en Madrid o “Los fusilamientos”, ambas de 1814, após a restauração da monarquia com a queda de Napoleão.

‘A Coroação de Espinhos’, de Anthony van Dick

De Sir Anthony van Dick [22 Março 1599 – 9 Dezembro 1641], artista do barroco flamengo discípulo de Rubens, cuja actividade se desenvolveu na Flandres, em Itália e Inglaterra, onde foi pintor da corte de Carlos I, ‘A Coroação de Espinhos’ – 1618-20, que pertence ao Museu do Prado.


‘La Primavera’, de Sandro Botticelli

A fama de Sandro Botticelli [1445 -1510] está intimamente ligada às obras mitológicas, das quais são particularmente emblemáticas Primavera (c. 1480) e Nascimento de Vénus(c. 1485), dois ícones do Renascimento italiano e da arte ocidental que pertencem à Gallerie degli Uffizi em Florença.


‘Penitente Madalena’, de Georges de La Tour

La Madeleine é um dos temas favoritos de Georges de La Tour [14 Março 1593 – 30 Janeiro 1652]. Existem quatro pinturas originais com um esquema de composição idêntico: ‘Madalena Arrependida’(1635-40) – National Gallery em Washington, Madalena à luz da noite’ (1640-45) – Museu do Louvre, esta ‘Penitente Madalena’ (ca. 1640) – Museu Metropolitan em Nova York, e Madalena com chama fumegante (1635-37) – County Museum em Los Angeles.


‘A Children’s Bacchanal’, de Michelangelo

Michelangelo Buonarroti [Caprese, 6 March 1475 – Rome, 18 February 1564]
A Children’s Bacchanal, 1533
Royal Collection Trust


‘Júpiter e Io’, de Correggio

A partir da cultura do Quattrocento e dos grandes mestres da época, como Leonardo, Rafael, Michelangelo ou Mantegna, Antonio Allegri, dito o Correggio [c. 1489 – 5 Março 1534] inaugurou uma nova concepção da pintura e construiu o seu próprio trajecto artístico, que o coloca entre os grandes nomes do Cinquecento.

A união de Zeus e da ninfa Io, filha de Inachus – o primeiro rei de Argos, remonta na sua presente forma às Metamorfoses de Ovídio: Io foge de Zeus que «lança as trevas sobre todo o domínio, impede a fuga da donzela e conquista a sua virgindade». Enquanto na versão de Ovídio Zeus se torna invisível na escuridão, Correggio transforma-o numa nuvem, criando deste modo um profundo contraste entre a escuridão do céu e a figura luminosa de Io.


Corregio [1489-1534] – Júpiter e Io, 1531-32
Kunsthistorisches Museum, Viena

‘Érase una vez… el mar’, de Joaquín Sorolla

Joaquín Sorolla y Bastida [27 Fevereiro 1863 – 10 Agosto 1923],
“Chicos en la playa”, 1909


Joaquín Sorolla y Bastida [1863-1923] – “Chicos en la playa”, 1909
Museu do Prado, Madrid

<span>%d</span> bloggers like this: