‘Perfidia’, de Giuseppe Torelli

De Giuseppe Torelli [22 Abril 1658 – 8 Fevereiro 1709], violinista e compositor italiano do período barroco, a composição Perfidia para 2 violinos e contínuo, G. 65, interpretada pelo Ensemble Aurora, dirigido por Enrico Gatti.

Álbum: L’Arte del Violino in Italia, c. 1650-1700 | ℗ 2011 Glossa


‘A Visão de São Francisco’, de Ludovico Carracci

Ludovico Carracci [21 Abril 1555 – 13 Novembro 1619], pintor, gravador e impressor do Barroco Italiano, foi fundador da Accademia degli Incamminati que ajudou a desenvolver a chamada Escola da Bolonha no final do século XVI.

Ludovico Carracci foi um dos primeiros pintores a explorar o lado emocional da revelação divina. Em A Visão de São Francisco (1585), uma das primeiras obras do artista, ilustrou o episódio em que um dos seguidores de São Francisco testemunhou uma aparição da Virgem entregando o Menino Jesus ao santo, enfatizando a natureza intensamente espiritual da experiência de Francisco. Via Rijksmuseum, Amsterdão.


‘As Quatro Alegorias do Amor’, de Paolo Veronese

Com Ticiano [ca.1490 –  1576] e Tintoretto [1518 – 1594], Paolo Veronese [Verona , 1528 – Veneza , 19 Abril 1588] integra  “o grande trio que dominou a pintura veneziana do século XVI”.

O último quartel do século XVI foi de intensa actividade para a oficina de Veronese, com um conspícuo trabalho para a igreja e aristocracia veneziana, expresso em grandes retratos e também formatos menores dedicados a temas mitológicos ou alegóricos, retirados da literatura clássica, com claras alusões eróticas e sensuais. Exemplos dessas produções são a Criação de Eva ( Art Institute of Chicago ), O Rapto de Europa (Palácio Ducal em Veneza) e Moisés salvo das águas (Museu do Prado em Madrid).

Também desse período são as famosas Quatro Alegorias do Amor (ca. 1575) , inicialmente fazendo parte de um único conjunto decorativo de um tecto, ou vários, e que actualmente pertencem à National Gallery em Londres.


‘Flamenco & Classica’, de Mestre José Luis Montón

‘Flamenco & Classica’, o mais recente projecto do mestre catalão José Luis Montón, une as duas disciplinas da música e conta com a participação de nomes maiores da nova geração que dá voz ao Flamenco como Miguel Poveda e Rocío Márquez, que neste Tiempo de abrazarse paira sobre o ‘Adagio’ de Tomaso AlbinoniDisfrutenlo


‘Concerti grandi’, de Johann David Heinichen

De Johann David Heinichen [17 Abril 1683 – 16 Julho 1729], teórico musical e compositor do alto barroco alemão com uma passagem por Itália, particularmente em Veneza onde esteve com  Gottfried Heinrich Stölzel e conheceu Tomaso AlbinoniAntonio Vivaldi, o primeiro andamento Allegro e o segundo Larghetto, do Concerto em Sol maior, S. 213.


Álbum: Heinichen: Concerti grandi, 1993
Musica Antiqua Köln · Reinhard Goebel

‘Amazônia’, música para respirar

Após Welcome To The Other Side (Concert From Virtual Notre-Dame) no final de 2020, Jean-Michel Jarre gravou recententemente um trabalho para acompanhar a Exposição Amazônia, um projecto do fotógrafo e cineasta Sebastião Salgado que percorreu a Amazónia brasileira durante seis anos, reuniu mais de 200 fotos sobre a floresta, os rios, as montanhas, as pessoas.
No centro da exposição que vai passar pela Europa e pela América do Sul está um convite para ver, ouvir e pensar sobre o futuro da biodiversidade e o lugar do homem no mundo vivo. 

Serão no total 30 reportagens sobre 13 tribos, com muita fotografia aérea, porque assim é possível transmitir uma ideia da grande extensão da floresta e dos rios. O maior volume de água no Amazonas advém das evaporações, autênticas correntes aéreas de humidade que garantem a chuva em grande parte do planeta sob a forma de nuvens. Creio que esta série de fotografias do sistema montanhoso do Amazonas vai surpreender, pela impressão de estar nos Alpes, que é colossal. A última reportagem será sobre animais.Sebastião Salgado

indioamazonia
Quarenta e cinco anos depois de “Oxygène”, Jarre continua a fazer música para respirar,  inspirado pelo pulmão do planeta, de forma respeitosa e poética. A paisagem sonora da música de Jean-Michel Jarre, que fará os visitantes da exposição mergulharem no mundo da floresta, foi também gravada em áudio binaural, para uma experiência mais envolvente.

‘Concertos for Various Instruments’, de Johann Friedrich Fasch

Johann Friedrich Fasch [15 Abril 1688 – 5 Dezembro 1758] foi um compositor e violinista alemão do barroco tardio. Da sua obra foram preservadas 82 suites de abertura, 67 concertos, 32 sonatas e 19 sinfonias.


Álbum: Fasch: Concertos for Various Instruments, 2011 · © Accent
Concerto for 2 Oboes da caccia, 2 Violas, 2 Bassoons and Continuo in G Major, FaWV L:G11: III. Allegro
Ensemble Il Gardellino

Cris­tiano Holtz – Suites de pièces pour le clavecin (II)

No ducentésimo sexagésimo segundo aniversário da morte de George Frideric Handel [1685-1759], o terceiro andamento Allemande da Suite nº 3 em Ré menor HWV 428, com Cris­tiano Holtz no cravo.


Álbum: Handel: Suites de pièces pour le clavecin, 2011 | ℗ Outhere

‘From Gagarin’s Point of View’

Há precisamente sessenta anos, em 12 de Abril de 1961 a URSS surpreendeu o mundo ao enviar o primeiro homem ao espaço, o lendário Yuri Gagarin, com apenas 27 anos de idade, a bordo da cápsula Vostok 1 num vôo de 108 minutos. Morreu em 1968, aos 34 anos, a bordo de um avião de treino. Quando for grande quero ser astronauta…
Neste dia, fica a homenagem musical pelo trio sueco de jazz  Esbjörn Svensson Trio, com o tema ‘From Gagarin’s Point of View’ do álbum homónimo de 1999.


‘Concert de chambre a deux et trois parties Nos. 1’, de Joseph Mouret

De Joseph Mouret [11 Abril 1682 – 22 Dezembro 1738], compositor do barroco francês que exerceu o cargo de director do Concert Spirituel a partir de 1728, a leveza e a elegância da suíte de dança francesa, expressa no concerto de câmara dividido em oito partes que integra o primeiro álbum do Ensemble BradamanteConcerti A Quattro , 2020


/ 12 · 19 Concert de chambre a deux et trois parties Nos. 1 (Primeiro livro 1734)

<span>%d</span> bloggers like this: