Le Cool Magazine

As capas das newsletter do Le Cool Magazine são verdadeiros Postais de Lisboa. Esta página foi criada para os coleccionar. 🙂
Sempre que possível, as imagens têm ligação para as páginas dos(as)  autores(as), como tributo e forma de divulgação dos seus trabalhos.

ANO DE 2009

"Os prédios viraram árvores de natal? Sem dúvida! A Câmara encarrega-se de apetrechar as ruas, estradas e rotundas de vibrantes esculturas luminosas, umas mais populares, outras mais vanguardistas. Seja como for ILUMINAM e BRILHAM por toda a cidade. O proprietário alfacinha da varanda, marquise, anexo, água-furtada ou simples janela também não fica atrás nesta participação conjunta de enfeitar a cidade. Desde luzes, neve artificial, insufláveis temáticos, mais luzes … um “sem-número” de artigos descendentes da quadra. De há uns anos para cá nasceu também a figura do Pai Natal Escalador! Ele anda por aí. Chega a ser adesão massiva! Pode-se identificar o Pai Natal Escalador com corda de escalada, trenó ou mesmo ventosas." - Inês Miguéns Gomes

"Quem é esta lady, ao estendal? Srª Dona. Veste-se a rigor, leva ao detalhe tudo o que faz, põe boa energia e o coração palpita-lhe. Lady Dona passeia-se, cravando os saltos de agulha nas juntas da calçada, segura, vivaça e mais ainda curiosa. A bainha do vestido vai descosida, mas a linha da sobrancelha perfeita. A minha mãe diz que é a Beatriz Costa." - Inês Miguéns Gomes

”...algo de intenso” diz João Pedro Gonçalves

"Esta pequena pomba representa a imagem da solidão que cada um de nos sente entre a multidão, solidão esta que nos confere identidade, ela caracteriza a individualidade que nos marca como diferentes e ao mesmo tempo como mais um de um milhão. A cor destaca a força e a determinação que espelham a afirmação pessoal." - Lara Carpinteira

"O que é o melhor de ser engraxador? É ter na ponta da língua a história de uma cidade. É sujar as mãos pelo brilho do verniz que condiz com o atacador. O melhor de ser engraxador é a capacidade de ainda resistir aos tempos modernos e de devolver ao freguês o «novo», por meia dúzia de tostões." - Sara Osório

"O primeiro botão do casaco já se abotoa. A vontade de enfrentar aragens indesejáveis, começa a esmorecer. Vem a ronha, vem a preguiça, vem uns pés a pedir uns botins e a dita da botija de água quente. É verdade que o frio ainda não nos deixa em estado de pele de galinha eriçada. Mas o corpo prevê. É manhoso e já se está a rejubilar por hibernar. Os ingredientes LeCool são, portanto, remédio santo para prevenir estes estômagos comodistas. Esta receita é a “mezinha da avó” que faltava e que vem temperar as intempéries que se avizinham." - Sara Osório

"Ela procurava um verniz para as unhas nas lojas dos chineses em pleno Cais do Sodré. Eu já lhe tinha dito para tirar essas ideias da cabeça. Ela insistiu. Eu mostrava-lhe mais coisas em Lisboa do que ela a mim. Nessa tarde, fomos passear, andámos por aí, era Verão e ela estava muito triste. Ela sempre foi triste. A mãe que, e o pai que, e ela que estava presa a uma série de “ques” que não poderá nunca mais desprender-se porque não quer. Ela entrou na loja, eu fiquei a porta porque não me apetecia entrar. Quando saiu da loja, vinha de verniz na mão e a cheirar o frasco. Olhou para mim e disse-me: “só preciso de um abraço apertado”. Eu não respondi e continuamos o caminho, ambos pra caminhos opostos. E talvez nunca mais nos encontremos. Estamos ambos perdidos." - Filipe Guerreiro

"Esta foto foi tirada em Setembro do ano passado. Costumava ir regularmente ao Rato. O Rato sempre teve boas pastelarias e eu sempre tive alguém que mas mostrasse. Tirei essa foto pelas sete da tarde, justamente antes de entrar no metro. Era um daqueles dias que já pouco existem de Setembro, entre o calor e o frio e aquela energia de final de Verão que tenho saudades. Acho que é uma foto melancólica, embora ao mesmo tempo evoque a compensação de algo que já se teve. Do género: um breath in: eu fiz isto e custou. um breath out: já acabou e tenho saudades, mas não repetiria. Por isso considero uma foto completa. Ao mesmo tempo vejo nessa foto um possível retrato de Lisboa. Uma cidade triste e cansada, mas de uma beleza única." - Filipe Guerreiro

"Este M de metro é M de mulher? Pode ser. Se é o que virem nele, então é o que ele é de certeza. O que é o melhor de ser mulher portuguesa? É ser bonita." - Liliana Lourenço

"Era uma vez um dia. Com o vento, para além dos cheiros e sons, chegavam também segredos. Mas só ele os ouvia e só ele os sentia na pele. Depois alguém atirava para cima da relva um prato e dizia: Menino! Quero isso tudo comido!" - Liliana Lourenço

"Porque é que a Amália lê a Lecool? Ora, porque é que o gato atravessa a estrada? A Amália lê a Lecool para saber o que vai fazer!" - Vintage Vera

"Isto é Lisboa de costas? Acho que no estado que estamos, sim pode-se dizer que é Lisboa de tanga" - Margarida Borges

"Isto é uma gripe Lecooliana? Podemos pegar por aí, é bem mais divertida do que qualquer outra gripe e ainda ficamos a saber o que podemos fazer por cá em vez de ficarmos no sofá o dia todo." - Margarida Borges

"Era uma vez uma cidade que estava aprisionada pelo bicho cinzento, um bicho feio, porco e mau (o que dava um bom título para um filme). O bicho morava nas paredes e usava uma corrente que prendia o mundo das cores e as mantinha no subsolo longe de todos. Um dia a vontade das cores tornou-se cósmica, ninguém mais podia conter a sua energia. Com a ajuda do braço de Brahma as cores foram libertas e explodiram na cidade dando origem à felicidade orgásmica mundial. E toda a gente viveu feliz e colorida para sempre." - O Caridade

"Era uma vez uma cidade que estava aprisionada pelo bicho cinzento, um bicho feio, porco e mau (o que dava um bom título para um filme). O bicho morava nas paredes e usava uma corrente que prendia o mundo das cores e as mantinha no subsolo longe de todos..." - O Caridade

Porque é que o menino chora? Repara que o que ele queria ver era as maminhas da menina. Está desesperado - Margarida Girão

"Porque faz o peixe o pino? Está a fazer a corte ao Nelson Évora. Sardinha que é sardinha não é parva!" - Margarida Girão

“Girassóis, claro. Plantados numa praia qualquer” - Pilar Saldanha

Este borracho ao sol é um bon-vivant irresponsável. Vai a todos os lados, dança com qualquer um, é sempre convidado. Só come prazer. À dentada, à bruta, sem mastigar. Mas, ouvi dizer, anda cheio de le coolpa na barriga - Pilar Saldanha

"É o Big Brother alfacinha… Aquele que está sempre a olhar para Lisboa da cor do Calippo de Limão, a ver o que é que não andamos a fazer e a assobiar para o fazermos." - Rafael Stuart

É a varina, a vendedeira, é a que trata o mundo por freguês e ainda se sai às vezes "É A MIL!" - Rafael Stuart

“Esta é uma Lisboa labiríntica” - João Concha

“É o Tempo, sempre a escapar-nos” - João Concha

"Se o Santo António soltasse a franga..." - Vanessa Teodoro

“são as vizinhas, as comadres cuscas…” - Vanessa Teodoro

“Eu apaixonei-me pelo Pessoa” - Ana Sofia Santos.

“Esta imagem aliás são duas…” - Ana Sofia Santos

“Canta uma Lisboa profunda…” - Telma Nunes.

”...é melhor mandar embrulhar uma dúzia!”

“O silêncio diurno ansiando pelo ruído nocturno.” -Tamara Alves

“O eléctrico é das formas mais mágicas de atravessar Lisboa” - Tamara Alves!

“Autocarro da Carris nº745” - Ricardo Cabral.

“A Pascoa vende-se à Grama” - Vintage Vera

O Robot? “É um dos modelos que trabalha comigo” - Ricardo Cabral.

“Fala-se baixo, baixinho, assim, sussurradinho.” - Mariana Perry

“Lisboa usa bengala, capote, gabardina e t-shirt, se for preciso.” - Mariana Perry

“É um cacilheiro em chamas e apaixonado pelo Tejo” - Jorge Trindade

Lisboa vive nos telhados “especialmente nos quentes…” - Jorge Trindade

Falta ”...plantar um jardim no Terreiro do Paço…” - Vasco Mourão

”...memórias (distorcidas) da cidade de Lisboa.” - Vasco Mourão

“Este é só meu e dos leitores da lecool.” - Ricardo Macieira

“Pode ser o irmão gordo e baixinho da guitarra eléctrica!” - Ricardo Macieira

“]

“Seriam precisos 53 slides para encaix(ilh)ar Lisboa.” - Francisca Moreira"

“Lisboa é homem, é mulher, é travesti.” - Francisca Moreira

“Lisboa brinda com pombos e milho em vez de passas.” - Hugo Tornelo

  1. Eu confesso que também colecciono alguma capas :§
    tanto talento ….

  2. Estamos maravilhados com isto!

    Queres ser entrevistado para a Le Cool?!

  1. 4 de Junho, 2009

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

In Gaza

and beyond

Ana Isa Figueira

Psicologia Educacional

Histórias de Portugal e Marrocos

sobre Património, História e outras histórias

Carlos Martins

Portuguese Jazz Musician, Saxophone Player and Composer

O Cantinho Sporting

Onde a opinião é verde e branca!

TABOO of ART

'Also known as loveartnotpeople.uk, taboofart.com might just be the unintentional cure for the art world malaise: Spend twenty minutes trawling through the archives and you’ll be begging for the arcane pomposity of an Artforum Critic’s Pick' said BLACKBOOK Magazine

Michelangelo Buonarroti è tornato

Non ce la fo' più a star zitto

Lino Guerreiro

Compositor/Composer

TheCoevas official blog

Strumentisti di Parole/Musicians of words

David Etxeberria

Visual artist

Mary had a little blog

This is the bee's knees

Luz da imagem

A luz, essência da imagem e da fotografia. Analógica/digital; imagem real; imagem artística; Ensaios fotográficos.

The Libertine

A public blog that features a compilation of exceptional artists' works; serendipitously discovered by a secret admirer. The ongoing overtones of the production frequently include evocative imagery, passionate emotions, pure beauty and raw exprience (to name a few themes). Our content is composed of artistic expressions, fashion editorials, promising talents, diverse bodies, freedom for all, love forever and the eternal search for truth in the visceral .......................................................................................................................................................................................... (SUBMISSIONS TO satietypaper@gmail.com)

Instituto de História da Arte

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas - Universidade Nova de Lisboa

Franz E.

a tua palavra conta...

Devaneios e Poesias

Devaneios, poesias, literatura e cultura geral

ABA SYSTEMS

Advanced Business Advisor

Speakers' Corner

"I could be bounded in a nutshell, and count myself a king of infinite space" - William Shakespeare, in Hamlet

%d bloggers like this: