Arquivo de Julho, 2022

‘Orgelbüchlein’, de Johann Sebastian Bach

Depois de mais de 300 anos, o misteriosamente inacabado Orgelbüchlein ou ‘Pequeno Livro de Órgão’, BWV 599−644 de Johann Sebastian Bach, que morreu neste dia 28 de Julho em 1750, terá a sua versão completa em estreia no Reino Unido em Setembro de 2022, numa iniciativa do Royal College of Organists (RCO).
Fica o Prelúdio Coral Eu chamo-Te, Senhor Jesus Cristo,  BWV 639, do álbum Bach, J.S.: Organ Works (© 2007 haenssler CLASSIC), com Ton Koopman.


‘Responsori per la Settimana Santa’, de Francesco Corteccia

Na passagem do quingentésimo vigésimo aniversário do nascimento de Francesco Corteccia [1502-1571], compositor e Maestro di cappella activo em Florença ao serviço dos Medici, que tem como obra maior os Responsórios para a Semana Santa, de 1527.


Álbum: Corteccia: Responsories for the Holy Week ℗ 1999 Dynamic Records
Coro: I Cantori di Lorenzo · Direcção: Filippo Maria Bressan

Unus ex discipulis meis tradet me hodie

‘Trio Sonata’, de Philipp Heinrich Erlebach

No trecentésimo sexagésimo quinto aniversário sobre o nascimento de Philipp Heinrich Erlebach [1657-1714], compositor do barroco alemão cujo trabalho foi praticamente esquecido após o incêndio que devastou o castelo de Rudolstadt em 1735, onde exerceu o cargo de kapellmeister na corte do Conde Schwarzburg-Rudolstadt.
Em 1694 publicou uma colecção de trio sonatas para um ensemble tipicamente alemão da época: violino, viola da gamba e baixo contínuo.
Em 2019, a Outhere Music editou o álbum Erlebach: Complete Trio Sonatas, gravado no ano anterior na capela Notre-Dame de Centeilles (século XIII), com François Joubert-Caillet a dirigir o conjunto L’Achéron.


Sonata prima in D Major: IV. Sarabande & variatio

Marie Rouquié: violino | Sarah Van Oudenhove: viola baixo | François Joubert-Caillet: viola baixo

‘Cape Cod Evening’, de Edward Hopper

Na passagem do centésimo quadragésimo aniversário sobre o nascimento do pintor realista Edward Hopper [1882 – 1967], ‘Cape Cod Evening’ de 1939.


‘La conversione di Maddalena’, de Giovanni Bononcini (II)

Natural de Modena, Giovanni Bononcini [1670-1747], de quem se comemoraram a 18 de Julho de 2020 os 350 anos do nascimento, compôs a oratória a quatro vozes La Conversione di Maddalena em 1701, após ingressar ao serviço de Leopoldo I de Habsburgo, Imperador do Sacro Império Romano-Germânico.
Em 2019, o Ensemble La Venexiana, dirigido por Gabriele Palomba, gravou esta oratória em duplo cd para a Glossa, tendo como solistas Emanuela Galli, Francesca Lombardi Mazzulli, Marta Fumagalli e Matteo Bellotto.


Aria: Comincio a sospirar

‘Fantasía para un gentilhombre’, de Joaquín Rodrigo

O concerto para guitarra e orquestra ‘Fantasía para un gentilhombre’ resulta de um pedido que o virtuoso do violão Andrés Segovia [1893-1983] endereçou em 1954 ao compositor Joaquín Rodrigo [22 Novembro 1901- 6 Julho 1999].
Composto em quatro movimentos – Villano y Ricercare (Adagietto), Españoleta y Fanfare de la Caballería de Nápoles (Adagio – Allegretto), Danza de las Hachas (Allegro con brio) e Canario (Allegro ma non troppo) – foi influenciado pela obra “Instrucción de Música sobre la Guitarra Española” do compositor do século XVII Gaspar Sanz [1640-1710].


Álbum: “Rodrigo: Concierto de Aranjuez & Fantasía para un gentilhombre”, 2021
Guitarra – Regino Sainz De La Maza [1896-1981]
Orquestra Manuel de Falla, dirigida por Cristóbal Halffter

‘Shades’, de Andrew Hill

‘Shades’ foi o terceiro de quatro álbuns que Andrew Hill gravou com a editora Soul Note durante a década de 80 do século passado. Entre 3 e 4 de Julho de 1986, o Estúdio Barigozzi em Milão recebeu o quarteto formado por Andrew Hill, piano – Clifford Jordan, saxofone tenor – Rufus Reid, baixo – Ben Riley, bateria, para gravar seis composições originais de Hill.
Fica a última faixa do lado B do álbum, La Verne. Uma maravilha!


‘Miles & Monk at Newport’ (III)

O duplo álbum Miles & Monk at Newport combina actuações ao vivo de Miles Davis (1958) e Thelonious Monk (1963) no Newport Jazz Festival, das quais resultaram gravações a 3 de Julho dos respectivos anos. Do primeiro LP, fica a composição ‘Straight, No Chaser’, interpretada pelo sexteto que no ano seguinte gravou Kind of Blue.


Miles Davis, trompete | Cannonball Adderley, sax alto | John Coltrane, sax tenor
Wynton Kelly, piano | Paul Chambers, baixo | Jimmy Cobb, bateria

‘Concorde’, de Modern Jazz Quartet

Escrita pelo vibrafonista Milt Jackson [1923-1999], elemento fundador do Modern Jazz Quartet, a composição “Ralph’s New Blues” é o primeiro tema do lado A do álbum Concorde, gravado a de 2 de Julho de 1955 nos estúdio de Van Gelder em Nova Jérsia, e lançado nesse ano pela Prestige.


Milt Jackson, vibrafone – John Lewis, piano – Percy Heath, contrabaixo – Connie Kay, bateria

‘Let Us Go Into the House of the Lord’, de Pharoah Sanders

O octogenário Pharoah Sanders  é uma lenda do saxofone tenor. Acompanhou a fase mais vanguardista de John Coltrane durante a década de 60 e, após a morte do génio em 1967, colaborou com Alice Coltrane até 1970, ano em que gravaram ‘Journey in Satchidananda’.
Ainda nesse ano, mais precisamente a 1 de Julho, gravou para a Impulse ‘Summun, Bukmun, Umyun’ nos estúdios A&R em Nova Iorque. O tema que dá o título ao álbum é uma orgia musical mas hoje prefiro partilhar ‘Let Us Go Into the House of the Lord’, uma composição mais espiritual.


%d bloggers like this: