Posts Tagged ‘ Paul Chambers ’

“A Garland of Red”

O álbum de estreia do Trio do pianista de jazz Red Garland [1923-1984], com Paul Chambers no baixo e Art Taylor na bateria, foi gravado para a Prestige a 17 Agosto 1956, precisamente há 65 anos, num período de grande afirmação artística de Garland, já que  integrava o Quinteto de Miles Davis desde 1954, colaboração que se manteria até 1958.
Fica o standard What Is This Thing Called Love? escrito em 1929 por Cole Porter.


‘Heavy Dipper’, de Lee Morgan

Apesar da sua curta existência, o genial trompetista norte-americano Lee Morgan [10 Julho 1938 – 19 Fevereiro 1972], gravou duas dúzias de discos para a Blue Note, entre os quais The Cooker em 1958.
O momento alto da composição Heavy Dipper chega a seguir ao solo de Paul Chambers, com Lee Morgan a partir a loiça e Philly Joe Jones a apanhar os cacos.


Lee Morgan, trompete | Pepper Adams, saxofone barítono | Bobby Timmons, piano
Paul Chambers, baixo | Philly Joe Jones, bateria

Miles & Monk at Newport

O duplo álbum Miles & Monk at Newport combina actuações ao vivo de Miles Davis (1958) e Thelonious Monk (1963) no Newport Jazz Festival, das quais resultaram gravações a 3 de Julho dos respectivos anos. Do primeiro LP, fica a composição Fran-Dance, interpretada pelo sexteto que no ano seguinte gravou Kind of Blue.


Miles Davis, trompete | Cannonball Adderley, sax alto | John Coltrane, sax tenor
Wynton Kelly, piano | Paul Chambers, baixo | Jimmy Cobb, bateria

‘Bye Bye Blackbird’, de Miles Davis

O standard Bye Bye Blackbird que Miles Davis integrou no alinhamento do álbum Round About Midnight foi gravado neste dia 5 de Junho em 1956, precisamente há 65 anos.


Miles Davis, trompete – John Coltrane, saxofone tenor – Red Garland, piano
Paul Chambers, baixo – Philly Joe Jones, bateria

‘Not Guilty’, de Clifford Jordan

Do saxofone tenor norte-americano Clifford Jordan [1931-1993], o tema de abertura do álbum Cliff Jordan. A gravação para a Blue Note teve lugar nos Estúdios Van Gelder em Nova Jérsia a 2 de Junho de 1957 e contou com a seguinte formação: Curtis Fuller, trombone · John Jenkins, saxofone alto · Ray Bryant, piano · Paul Chambers, baixo · Art Taylor, bateria.


‘Blue in Green’, de Miles Davis

Os dias 2 de Março e 22 de Abril de 1959 correspondem a duas datas muito especiais para o jazz. Há precisamente 50 anos, Miles Davis, John Coltrane, Julian “Cannonball” Adderley, Bill Evans, Paul Chambers e Jimy Cobb entravam no estúdio da Columbia, na 30th Street, em Nova Iorque, para gravar um conjunto de peças que mais tarde acabariam por dar forma a Kind of Blue, o mais referido e exaltado álbum em todo o jazz.
Rezam as crónicas que as primeiras peças a ser gravadas na primeira sessão terão sido So What e Blue in Green, entre as 14:30 e as 17:30, e que, depois de uma pausa para descanso e jantar, Miles telefonou a Wynton Kelly para vir para o estúdio, afim de gravarem Freddie Freeloader, na sessão das 19:00 às 22:00. Na segunda sessão de gravação, seriam registadas ainda duas outras peças esplendorosas – Flamenco Sketches e All Blues – assim se completando o line up de Kind of Blue.  – Manuel Jorge Veloso


‘Philly Twist’, de Kenny Dorham

Dedicado ao baterista Philly Joe Jones [1923-1985], ‘Philly Twist’ é o tema de abertura do álbum de estúdio Whistle Stop de Kenny Dorham [1914-1972], gravado para a Blue Note a 15 de Janeiro de 1961, precisamente há sessenta anos.


Kenny Dorham, trompete · Hank Mobley, saxofone tenor · Kenny Drew, piano
Paul Chambers , contrabaixo · Philly Joe Jones, bateria

‘Freddie Freeloader’ – Wynton Kelly’s piano solo

Wynton Kelly [2 Dezembro 1931 – 12 Abril 1971] substituiu Bill Evans ao piano no tema ‘Freddie Freeloader’, na que foi a sua única participação no álbum ‘Kind of Blue’ de Miles Davis (1959). Os solos são de Wynton Kelly, Miles Davis, John Coltrane, Cannonball Adderley e Paul Chambers.


‘Roll Call’, de Hank Mobley

O saxofonista tenor Hank Mobley [7 Julho 1930 – 30 Maio 1986] gravou para a Blue Note Roll Call em 13 de Novembro de 1960, precisamente há 60 anos, nos estúdios de Rudy Van Gelder. Tal como para o excepcional Soul Station, gravado em Fevereiro desse ano, Mobley reuniu um notável conjunto de músicos da era do hard bop, como Wynton Kelly (piano), Paul Chambers (contrabaixo), Art Blakey (bateria) e Freddie Hubbard (trompete) – Soul Station não contou com a participação do trompetista.


‘Round Midnight’, por Miles Davis

Na passagem do vigésimo nono aniversário da morte de Miles Davis [26 Maio 1926 – 28 Setembro 1991], de recordar que foi esta interpretação de Round Midnight no Newport Jazz Festival, em Julho de 1955, que levou Miles Davis a gravar o seu primeiro trabalho para a Columbia em 1957.


Miles Davis, trompete – John Coltrane, saxofone tenor – Red Garland, piano
Paul Chambers, baixo – Philly Joe Jones, bateria

%d bloggers like this: