Arquivo de Abril, 2008

Hi5 para Pais

O Portal Miúdos Seguros na Net está a programar um primeiro workshop no Porto, em princípio a 28 de Junho, que visa reflectir sobre comportamentos, contactos e conteúdos utilizados por parte dos nossos filhos através das tecnologias de informação.

Anúncios

antes da viagem

Robert Rauschenberg, artista norte-americano de quem vi a Exposição Viagem 70-76 em Serralves


Robert Rauschenberg, Estate – 1963
Oil and silkscreen ink on canvas
96 x 70 in. (243.8 x 177.8 cm)
Philadelphia Museum of Art

Encore Jarre…

O encore de Jarre no Coliseu de Lisboa, dedicado a… nós! 😀
Via.

valeu a pena esperar por “este” 25 de abril

Como responder quando me perguntam se gostei do Concerto? Sendo que era a primeira vez que Jean Michel Jarre tocava em Lisboa, sendo que há mais de trinta anos que ouço Oxigene, sabendo que tradicionalmente Jarre toca para multidões e que por isso é um privilégio estar num local que me é tão caro como o Coliseu de Lisboa num momento intimista como o de ontem, a resposta possível teria de ser qualquer coisa como Foi um momento mágico!

Amigos tripeiros, esqueçam lá o Guimarães-Porto e, se ainda houver bilhetes, aproveitem! Duas notas breves, para destacar que no blog de Jarre podemos ir acompanhando a digressão e que, enquanto não tenho os vídeos disponíveis para publicar – a expectativa é menor relativamente ao som, pois os vídeos serão seguramente muito bons -, temos dois cheirinhos da digressão em Espanha, Barcelona e Madrid.

stairway to heaven

Fiz estas fotos há cerca de três anos; Publico-as num momento em que a Câmara de Lisboa e a GNR celebram um protocolo de colaboração para a ligação pedonal entre o pátio B, o Largo do Carmo e os terraços do Quartel do Carmo, que acolherá o futuro Museu da GNR, com ligação às ruínas do Carmo.
A requalificação fica a cargo de Siza Vieira.

O Quartel está aberto ao público até ao próximo dia 4 de Maio

John Aquaviva – first stroke

O DJ Norte Americano John Acquaviva iniciou a carreira na década de setenta e especializou-se no House e no Techno. Já trabalhou com Mauro Picotto.
Página no MySpace

Legenda para uma fotografia


Como diluir as estrias que traem tua idade
ao irromper do que não queres lembrar,
a não ser quando tudo te repudia tanto
que em ti embebes as tuas espadas,
ansiando remir o que não clama resgate?
E ris, sorris: corola vesperal a desfolhar nas faces
um esmalte falaz que teus olhos recusam.

Injuria-te a luz, embora te defendas
num recanto que as lâmpadas receiam:
aí a música amaina, extenuada,
permite que te envolva
uma outra que de ti se evola
num tempo de que foste expulsa.

    Não são máscaras esse carmim viscoso,
    os cabelos sufocados em adornos grotescos
    e em tinta,
    o debrum crepuscular das pálpebras,
    a cilada sedenta de uma boca
    constrangida a abdicar da força da mentira.
    São em ti apelos transparentes:
    por eles te denuncias e somente
    suplicas ser, sem precisares depor
    sobre teus desígnios, teus actos.

    Que poderás dizer que todos não saibam?
    O que és não o partilharás ao exprimi-lo.
    Tuas palavras para os outros significam
    o mesmo que silêncio. E os teus gestos
    só para ti vertem um conteúdo.

    Mas reges a magia de discretos sinais:
    uma pulseira que distancia tua mão, um aroma
    a convidar para um quarto clandestino,
    um leque a ondular sobre o teu peito
    o adejo de uma dança nupcial.

    Detém-te nesse lugar, se ninguém te convida.
    Na noite, tua cama pródiga, um esquife
    que te espera sem pressa.
    Goya ou uma objectiva cruel
    iludem-se quando tentam perpetuar-te
    ao tornar-te motivo de uma tela
    tão perecível como tu.

    Mas de nada te acusam:
    apontam-te ao meu discurso desatento,
    a alguém que deseje
    conhecer o corpo turbado que dissipas.

    Poema de José BentoSilabário
    Fotografias de Pierre Molinier

    Anúncios
    %d bloggers like this: