Arquivo de Março, 2015

Makan, de Driss El Maloumi

Concerto no Grande Auditório da Culturgest | 13 de Março, 21h30
Oud, Driss El Maloumi | Percussão, Saïd El Maloumi e Lahoucine Baquir

Driss El Maloumi, nascido em 1970 em Agadir, Marrocos, licenciou-se em literatura árabe, estudou filosofia da música, seguiu uma muito sólida formação musical clássica árabe e ocidental, recebendo vários prémios. Trabalhou intensivamente com Jordi Savall e o Ensemble Hesperion XXI e com Monserrat Figueras, colaborou em muitos álbuns de música antiga, tradicional ou clássica, e de jazz. […] O disco, que está na base do concerto desta noite, Makan (Viagem), foi entusiasticamente recebido pela crítica. Com razão, porque é de uma beleza que nos deixa felizes.

Citando alguns dos comentários feitos na imprensa da especialidade, “El Maloumi é daqueles músicos miraculosos que é indispensável ouvir, porque nos tornam melhores.” (Les Inrockuptibles). “Enraizado na tradição harmónica e ornamental do Oriente, o mestre de Agadir sintetiza as cores berberes, árabes ou andaluzas, cultivando as tonalidades que fazem a diferença (…). Saboreia-se a variedade e a modernidade dos modos de tocar. Assim como a subtileza de uma música que se revela menos na demonstração do virtuosismo, do que na elegância do som, a volubilidade do swing.” (Telerama). “Não há nenhuma necessidade de se ser iniciado na música clássica árabe para apreciar estes preciosos momentos de serenidade e de delicadeza.” (Mondomix). Via Culturgest.

Ainda o artigo “Driss El Maloumi leva a magia do Oud à Culturgest” de Nuno Pacheco, PUBLICO.

Genesis em Cascais, 1975

Quarenta anos passados e ainda me penitencio por ter falhado o encontro geracional que marcaria a história dos concertos em Portugal, mas um rapaz que ainda não tem barba pensa noutras coisas. Retenho apenas o prémio de consolação, que foi ver Peter Gabriel cinco anos depois.

Pandit Bhajan Sopori no Museu do Oriente

Concerto no Museu do Oriente | 4 de Março, 21h30
Pandit Bhajan Sopori, Santoor clássico | Acompanhado por: Durjoy Bhowmik – tabla (percussão)
Rishi Shankar Upadhyay – pakhawaj (percussão) | Veethika Tikoo – sur-santoor

[…] Panditji was born in Srinagar (Kashmir) into a family of musicians of the fabled 300 year old ‘Sufiana Gharana’ of Kashmir, the exclusive traditional Santoor family of the country. Panditji, the Legendary Santoor Maestro and Music Composer, has been the pioneer in establishing the Santoor at global platforms as a complete solo instrument. The quiet and unassuming maestro has come long way since he created history by being the first person to play the Indian Classical music on the Santoor in concerts way back in the early 1950’s. In his six decades of dedicated work he has explored various dimensions of the Santoor, carrying out many path-breaking innovations and introduced the ‘Sopori Baaj’, the systematic style of playing the classical Santoor.
Panditji combines a profound knowledge of music and musicology and has carried out immense research on Naad and Naad Yoga (sound therapy). He has composed music for films, commercials, documentaries, serials, operas, chorals, etc. He is the only classical musician of the country to have composed music for more than 5000 songs in different languages. […] Via.

O Combate dos Chefes

“Estamos no ano 2015 depois de Cristo. Toda a Cidade Invicta foi ocupada pelos Viscondes de Alvalade… Toda? Não! Uma aldeia povoada por irredutíveis tripeiros ainda resiste ao invasor. E a vida não é nada fácil para as guarnições de legionários Olisiponenses nos campos fortificados de Antas, Boavista, Ribeira e Aleixo…”

%d bloggers like this: