Arquivo de 11 de Fevereiro, 2006

Colecção Rau – El Greco

O Museu Nacional de Arte Antiga vai acolher a Exposição
Grandes Mestres da Pintura Europeia: De Fra Angelico a Bonnard
Colecção Rau –
18 de Maio a 17 de Setembro

As 95 obras que vão estar expostas distribuem-se da seguinte forma:

Primeiro Período: entre os séculos XV e XVIII
Número de obras: 46
Escolas representadas: italiana, flamenga, holandesa, alemã, francesa, espanhola e britânica
Autores: Fra Angelico, Bernardino Luini, António Solario, Guido Renni, Canaletto, Tiepolo, Porbus, Van Goyen, Van Ruysdael, Gerard Dou, Siberechts, Cranach, Philippe de Champaigne, Largillière, Boucher, Latour, Greuze, Fragonard, Robert, Vigée-Le Brun, El Greco, Ribera, Reynolds e Gainsborough.
Destaques: dois pequenos paineis de Fra Angelico, um retrato de Luini, um David Decapitando Golias de Renni e este excepcional
São Domingos em Oração de El Greco.

Segundo Período: Séculos XIX e XX
Número de obras: 49
Escolas representadas: impressionismo, simbolismo e nabis, fauvismo e expressionismo.
Autores: Corot, Courbet, Cézanne, Manet, Degas, Monet, Renoir, Pissarro, Sisley, Liebermann, Signac, Lautrec, Redon, Bonnard, Vuillard, Vlaminck, Dufy, Derain, Macke e Morandi.
Destaques: Mulher Argelina de Corot, Bacante de Courbet, Praia de Trouville de Boudin e Vista de l`Hermitage de Pissarro.

Esta Exposição, de qualidade excepcional, será certamente o acontecimento cultural mais importante do ano de 2006 em Portugal. Absolutamente imperdível.

Agradecimento a Madalena Reis do MNAA, pelos esclarecimentos prestados

Posted by Picasa clique na imagem para ampliar

azulejo – santos devotos

 

 

 

Posted by Picasa clique nas imagens para ampliar

O Agente Triplo

Depois de Patricia Barber, nova romaria ao CCB, desta vez para ver Brad Mehldau Trio.

Praticamente duas horas e meia de jazz, num concerto desde já candidato a um dos melhores do ano;
Culpa de Mehldau, ao tocar para uma plateia algo estranha, que o obrigou a voltar três vezes ao palco!

Anunciado como estando esgotado, o concerto, patrocinado por um fabricante de automóveis, deu nisto: convidados a deixarem os lugares vazios, outros a chegar já com os músicos a tocar, um forçado intervalo para bebericagem, ou ainda, a cada um dos encores, a sala ir ficando com imensas brancas…

Mehldau é um grande compositor e intérprete. Acompanhado de Larry Grenadier, brilhante no contrabaixo e Jeff Ballard, cuja bateria por vezes me pareceu excessivamente carnavalesca, o Trio não merecia este comportamento por parte do público.

Mais sobre Mehldau, neste artigo da Down Beat Magazine e na entrevista concedida à All About Jazz.

%d bloggers like this: