Arquivo de 12 de Outubro, 2004

Troll!

O candidato madeirense do Partido Socialista às Regionais, afirmou:

– Santana Lopes disse nos Açores, que sem alternância, não há democracia nos Açores!

Eu queria ver o Santana Lopes dizer isso aqui na Madeira!!

Certamente que PSL arranja um furinho na agenda para ir à Madeira dizer:

– Sem alternância, não há democracia nos Açores!



Isto não é ruído… é outra coisa!

O discurso que o primeiro-ministro dirigiu ontem ao país através das televisões começou por ser anunciado aos canais de televisão como um tempo de antena do Governo para ser emitido às 21h10. Mas depois o gabinete do primeiro-ministro informou as estações de que poderiam emiti-lo quando quisessem. A partir daqui, a comunicação de Santana Lopes, que foi previamente gravada, mereceu opções editoriais diferentes dos canais generalistas de sinal aberto. O sinal da gravação foi distribuído em simultâneo, mas a RTP quis esperar até visionar todo o discurso do primeiro-ministro antes de o pôr no ar. A SIC foi a primeira a emiti-lo, logo após as 20h00, aparentemente ainda antes de ter recebido a totalidade do sinal (distribuído pelo operador de serviço público em simultâneo para todas as estações). A TVI remeteu a comunicação do primeiro-ministro já para a segunda metade do seu jornal de horário nobre, mas não a transmitiu na íntegra, tendo optado por seleccionar o que achou serem as partes mais relevantes

Acontece que ontem, logo após a comunicação de PSL, o director do Público denunciou, em directo na SIC, que estávamos em presença de mais uma grave instrumentalização dos meios de comunicação.

Isto não é ruído, é terrorismo jornalístico!

%d bloggers like this: