Posts Tagged ‘ Música em São Roque ’

Capella Duriensis no Mosteiro de Santos-o-Novo

Na impossibilidade de transportar para aqui a atmosfera do concerto que esta tarde teve lugar no Mosteiro de Santos-o-Novo, fica uma imagem do Grupo Vocal Capella Duriensis, captada durante a execução do sublime Panis Angelicus de João Lourenço Rebelo (1610-1665).
Sugiro ainda a reportagem de Manuel Vilas Boas para a TSF.

A primeira parte do Programa, com música profana, teve lugar numa sala contígua à Igreja do Senhor dos Passos, onde decorreu a segunda parte, com música sacra.
No decurso do período escolhido, entre 1550 e 1650, ocorrem múltiplas mudanças na sociedade portuguesa, principalmente o surgimento da Contra-Reforma, a ascensão dos jesuítas e o incremento da educação e conhecimento, a par da atitude repressiva da inquisição. Musicalmente, este século é dominado pelo Concílio de Trento, que determinou a predominância da clareza do texto sobre a complexidade contrapontística.
Primeira parte:
Anónimo (Cancioneiro do Palácio) – Que me quereis, cavallero?
Alonso Mudarra – Ysabel, perdiste la tu faxa
Luys Milan (ca. 1500 – ca. 1561) – Falay miña amor, Quiem amores tem, Triste estava, muy quexosa
Matteo Flecha (1481-1553) / Miguel de Fuenllana (c.1500-1579) – Teresica hermana
Segunda parte:
João Lourenço Rebelo (1610-1665) – Lamentations
Damião de Goís (1502-1574) – In Die Tribulationis, Ne laeteris
Frei Manuel Cardoso (1566-1650) – Magnificat
João Lourenço Rebelo (1610-1665) – Panis Angelicus

Música Sacra e Profana em Portugal nos Séc. XVI e XVII

Integrado na 25ª Temporada do Festival de Música em São Roque, que este ano privilegia a música de compositores portugueses ou de expressão portuguesa, o concerto do Grupo Vocal Capella Duriensis terá lugar no Mosteiro de Santos-o-Novo no dia 24 de Novembro às 15h30.
CAPELLA DURIENSIS – GRUPO VOCAL
Hugo Sanches, vihuela e viola de mão | Xurxo Varela Díaz, viola da gamba
Rui Silva, percussão | Caterina Costa e Silva, encenação
Jonathan Ayerst, direcção
PROGRAMA
Frei Manuel Cardoso (1566-1650) – Magnificat
Anónimo (Cancioneiro do Palácio) – Que me quereis, cavallero?
Alonso Mudarra – Ysabel, perdiste la tu faxa
João Lourenço Rebelo (1610-1665) – Lamentations
Matteo Flecha (1481-1553)/Miguel de Fuenllana (c.1500-1579) – Teresica hermana
Damião de Goís (1502-1574) – In Die Tribulationis, Ne laeteris
Luys Milan (ca. 1500 – ca. 1561) – Falay miña amor, Quiem amores tem, Triste estava, muy quexosa
João Lourenço Rebelo (1610-1665) – Panis Angelicus
Criada em 2010, a Capella Duriensis é um ensemble vocal especializado na preparação de jovens cantores portugueses para o nível profissional da performance musical. Desde 2011 que a Capella Duriensis é um ensemble-residente da Escola das Artes – Universidade Católica Portuguesa.

Ludovice Ensemble – 2as Vésperas Solenes para o Nascimento de São João Baptista ca.1760

Um programa que procura reconstruir a dimensão sonora da célebre Capela de São João Baptista da Igreja de São Roque, encomendada por D. João V em 1742, e criada por Nicola Salvi, Luigi Vanvitelli, João Frederico Ludovice, Agostino Masucci, Mattia Moretti, entre outros. Este concerto pretende apresentar uma componente essencial e até aqui negligenciada desta verdadeira e incomparável Obra de Arte Total.
O Programa, que pode ser consultado aqui, inclui música de Pedro António Avondano (1714-1782), António Teixeira (1707-1774), Antonio Tedeschi (1702-1770), Giovanni Giorgi (ca.1700-1762) e Giovanni Pierluigi da Palestrina (1525-1594).
1395421_10151979044323086_60444977_n
Ludovice Ensemble:
Solos: Eduarda Melo, soprano | Lisa Tavares, alto | Fernando Guimarães, tenor | Hugo Oliveira, baixo
Replenos: Mónica Monteiro, soprano | Fátima Nunes, alto | João Rodrigues, tenor | Armando Possante, baixo & chantre
Instrumentos: Reyes Gallardo & Miriam Macaia, violinos | Diana Vinagre, violoncelo | Joana Amorim, flauta traversa | Mélodie Michel, fagote | Paulo Guerreiro & Laurent Rossi, trompas naturais
Fernando Miguel Jalôto, órgão e direcção

25ª Edição da Temporada “Música em São Roque”

A 25ª edição da Temporada de Música em São Roque organizada pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa arranca já esta sexta-feira, dia 8 de novembro, às 21h30, na Igreja de São Roque com a actuação do Coro Gulbenkian sob a direcção do maestro Jorge Matta.
Clique na imagem para descarregar o Programa.
musica-em-sao-roque-2013
Esta Temporada de Música que vai dar especial destaque às obras dos compositores portugueses inclui 10 espectáculos. À divulgação da música, associa-se este ano, a descoberta do património cultural com a realização de concertos em cenários históricos. Pela primeira vez, o Mosteiro de Santos-o-Novo e a Igreja do Convento da Encarnação abrem portas aos concertos que, com entrada livre e gratuita, decorrerão até 1 de Dezembro.
Simultaneamente estão também previstas visitas guiadas gratuitas aos diferentes espaços que acolherão os espectáculos musicais , bem como sessões de declamação de poesia.
O maestro Filipe Carvalheiro, diretor artístico da temporada manifesta o seu regozijo pelo “trabalho desenvolvido pelos musicólogos na pesquisa da música portuguesa”.
Um exemplo é o tema “A Doce Irmã do Sono” a interpretar pelo Grupo Vocal Olisipo.
Destacam-se também os concertos “Música Policoral na Capela Real e Patriarcal de Lisboa no Século XVIII”, pelo agrupamento luso-brasileiro Americantiga programado para a Igreja de São Roque, no dia 9 de novembro e as “Vésperas Solenes para o Nascimento de São João Baptista para a Igreja de São Roque” pelo Ludovice Ensemble, em primeira audição moderna mundial, a 23 de novembro.
Para assinalar os 25 anos desta iniciativa, alargou-se pela primeira vez publicamente a programação desta temporada a todos os músicos que nela pretendessem participar, o que permitiu recolher um número recorde de candidaturas. Entre as 105 propostas apresentadas a concurso, foram selecionados agrupamentos e solistas de renome como a pianista Sofia Lourenço, a Capella Duriensis ou o Quarteto Vintage.

24ª Edição da Temporada “Música em São Roque”

O Coro do Tejo – Ensemble Studio Contrapuncti fará hoje o Concerto de Abertura do Festival “Música em São Roque”, com obras de Heinrich Schütz (1585-1672) e Arcangelo Corelli (1653-1713).

Clique na imagem para descarregar o Programa.

Na sua 24ª edição, a Temporada “Música em São Roque” volta aos locais da sua origem; a Igreja e Museu de São Roque seguindo, como nas edições anteriores, uma linha de programação que privilegia a ligação estética às características próprias dos locais onde decorrem os concertos, a participação de músicos portugueses ou residentes em Portugal e a divulgação do universo musical português.
A Igreja de São Roque acolhe sobretudo obras para coro e orquestra do período barroco e clássico, nomeadamente de Bach, Schütz , Vivaldi, Charpentier, Haydn, Mozart e de um conjunto de compositores portugueses e brasileiros que nos séculos XVII e XVIII aproximaram a história da música destes dois países, como sejam Marcos Portugal, André da Silva Gomes, Emerico Lobo de Mesquita e José Maurício Nunes Garcia, entre outros.
Assumindo-se como iniciativa dinamizadora da atividade musical da comunidade local, a Temporada Música em São Roque prossegue na sua colaboração com as duas principais escolas de música sediadas na área envolvente; a Escola Superior de Música de Lisboa e a Escola de Música do Conservatório Nacional.
O Museu de São Roque será igualmente palco para um interessante concerto intitulado “Uma viagem através do piano e violino” onde se cruzarão obras tradicionais da música erudita com obras de cariz popular. Via.
%d bloggers like this: