Se Tu Me Esqueces

Quero que saibas

uma coisa.

Tu sabes como é:

se contemplo

a lua de cristal, os ramos rubros

do outono lento na minha janela,

se toco

ao pé do lume

a impalpável cinza

ou o corpo enrugado da lenha,

tudo a ti me conduz,

como se tudo o que existe.

aroma, luz , metais,

fossem barcos que navegam

em direcção às tuas ilhas que me esperam.

Ora bem, se a pouco e pouco deixas de amar-me

deixarei de amar-te a pouco e pouco.

Se de repente

me esqueceres

não me procures,

que já te haverei esquecido.

Se consideras longo e louco

o vento de bandeiras

que percorre a minha vida

e decidires

deixar-me à margem

do coração em que tenho raízes,

pensa

que nesse dia,

nessa hora,

levantarei os braços

e as minhas raízes irão

procurar outra terra.

Pablo Neruda

Os Versos do Capitão

(Tradução de Albano Martins)

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: