Arquivo de 20 de Fevereiro, 2004

Reivindicação da Arte

A boa, que ao seu amor nada nega
E se lhe entrega com antecipação
Saiba: que não é boa vontade não
Mas talento, o que ele deseja na esfrega.

Mesmo se à velocidade do som
Do sou-tua dela à cópula chega
Não é pressa que o botão dele carrega
Quando às bolas seminais dá vazão.

Se é o amor que primeiro atiça o fogo
Precisa ela depois,
Para Inverno amparado
De ser dona ainda de um traseiro dotado.
De facto, mais que o fervor no olhar
(Também faz falta) um truque há que usar:
Coxas soberbas, em soberbo jogo.


Poema de Bertolt Brecht, gravura de Pablo Picasso

Fui ver… era a Gralha!

Bom! Em primeiro lugar, as minhas fontes (sempre fidedignas)

tiveram o cuidado de confirmar que não se trata de nenhuma montagem.

Este recorte, para quem quiser confirmar, está publicado no

Diário da República – II Série, nº 25 – 30 de Janeiro de 2004.

Isto para chegar onde?!

Tem graça enquanto gralha.

Hipótese A) O homem vai «fazer sangue»!

Hipótese B) Desta vez vai utilizar bem a inteligência e achar piada!

%d bloggers like this: