Posts Tagged ‘ Fotografia ’

Tertúlias

O Procópio, que em Maio passado completou 33 anos, é um dos bares mais carismáticos da Sétima Colina.


Não é um óptimo sítio para para discorrer sobre Lisboa, entre uma Duvel e uma daquelas tostas?

Nas noites quentes que se avizinham, está mesmo a apetecer…
Fica o repto!

antes que alguém se magoe…

É desta vergonha que fala o Jorge Ferreira!

Independentemente do momento em que se possam iniciar as obras, é inacreditável como se permite que um prédio neste estado continue habitado!

Alguém da Câmara, dos Bombeiros ou da Protecção Civil já viu o estado em que se encontra o interior?

Façam qualquer coisinha, se faz favor!

calçada portuguesa em risco?

Segundo artigo de Filipe Morais do DN-20060620, o vereador António Prôa está a estudar novos pavimentos que possam substituir a calçada portuguesa, nomeadamente em zonas de declives acentuados, propiciadoras de escorregadelas em tempo de chuva.
O objectivo não é desvalorizar a calçada, embora haja zonas da cidade que não se compadecem com a calçada portuguesa.
Foi também estabelecido um protocolo com a Sociedade Portuguesa de Matemática, para que a disciplina seja aplicada aos desenhos da calçada portuguesa em Lisboa.

Falar em zonas de declives acentuados na cidade das sete colinas, se não revela desconhecimento do relevo de Lisboa, então ainda é mais grave do que parece.

Conheço inúmeras zonas com risco de escorregadelas; assim de repente, lembro-me das Rua Garrett e Nova do Almada, as zonas do Castelo e da Graça, A Calçada da Bica Grande, a Calçada da Estrela, A Rua Vítor Cordon, A Rua da Imprensa Nacional, o início da Barata Salgueiro… não tem fim!

Que pretende a autarquia fazer nestes casos?
Quais são as alternativas, em termos de pavimento? O granito?!
Como devem os lisboetas encarar este grave precedente?

Fica a pergunta sacramental: não representa risco incomparavelmente maior para o transeunte, o monstruoso número de buracos nos passeios?
Talvez a SPM possa fazer essa conta…

calçada portuguesa

azulejo – Metro

azulejo – fachadas

221 – o número do azar

Sinceramente, fico perplexo com o facto de alguém com tão bom gosto se permitir um disparate destes.

%d bloggers like this: