Posts Tagged ‘ Carl Philipp Emanuel Bach ’

‘Der Frühling’, de Carl Philipp Emanuel Bach

Na passagem do trecentésimo sétimo aniversário do nascimento de Carl Philipp Emanuel Bach [8 Março 1714 – 14 Dezembro 1788], a canção Der Frühling / A Primavera, extraída do álbum Carl Philipp Emanuel Bach: Der Frühling (2016), interpretada pelo agrupamento Café-Zimmermann, com direcção musical de Pablo Valetti, tendo como solista o tenor inglês Rupert Charlesworth.



Der Frühling is a song reworked into a chamber cantata in about 1770: its galant élan is appositely rendered in Rupert Charlesworth’s mellifluous delivery of Wieland’s poetry describing the joys of spring, working in tandem exquisitely with violinists Pablo Valetti and Mauro Lopes Ferreira. Three brief arias might have been written in the late 1730s during CPE’s student days in Frankfurt, whereas the mature sophistication of his music in late-1770s Hamburg is represented by the succinct cantata Selma. Via Gramophone.

‘Prelúdio coral HoWV X.21’, de Gottfried August Homilius

De Gottfried August Homilius [2 Fevereiro 1714 – 2 Junho 1785], insigne compositor alemão de música sacra de quem em 2014 se comemoraram os 300 anos do nascimento e que, a par de C. P. E. Bach [1714-1788], Carlos Seixas [1704-1742] e Johann Joachim Quantz [1697-1773], integrou o grupo dos mais significativos representantes da Emfindsamkeit – ou música sensível – que sucedeu ao período barroco, o prelúdio coral HoWV X.21.


Álbum: Homilius: Erwachet, ihr Christen · ℗ 2010 Carus
Andreas Lorenz · Friedrich Kircheis

C.P.E. Bach por Cristiano Holtz

Na passagem do ducentésimo trigésimo segundo aniversário da morte de Carl Philipp Emanuel Bach [8 Março 1714 – 14 Dezembro 1788], a Sonatina em sol maior (In 2 Sonaten), Wq. 63/7 , extraída do conjunto “Seis Sonatine Nuove, Hamburgo 1786.

Álbum: Cristiano HoltzCPE Bach: Essai sur l’art véritable de jouer les instruments à clavierHORTUS, 2014


“A Verdadeira maneira de tocar instrumentos de teclado”, por Cristiano Holtz

No próximo dia 14 pelas 19h00, a  Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves recebe Cristiano Holtz para a apresentação do seu novo CD “A Verdadeira maneira de tocar instrumentos de teclado” – Integral – de Carl Philipp Emanuel Bach. Registado em clavicórdio e em cravo.
Programa: Peças extraídas de “Dezoito Probe-Stücke em seis sonatas, Berlim 1753” e de “Seis Sonatine Nuove, Hamburgo 1786”

 

300 anos do nascimento de Carl Philipp Emanuel Bach

A emissão do Musica Aeterna dedicada aos hoje assinalados 300 anos do nascimento de Carl Philipp Emanuel Bach pode ser escutada na Antena 2 no próximo domingo 9 de Março, entre as 10h00 e as 12h00.

CLIQUE NA IMAGEM PARA OUVIR O PODCAST
Músico e compositor alemão, segundo filho de Johann Sebastian Bach e Maria Barbara Bach, Carl Philipp Emanuel Bach [8 Março 1714 – 14 Dezembro 1788] ingressou com dez anos na Escola de São Tomé em Leipzig, onde o pai em 1723 se havia tornado cantor. Continuou depois a sua educação como estudante de jurisprudência nas universidades de Leipzig, mas em 1738, depois da sua graduação, passou a dedicar-se definitivamente à música.
Foi um dos compositores mais influentes em sua geração. De 1740 a 1768 esteve em Berlim, a serviço da corte de Frederico, o Grande.
Em 1768, C.Ph.E. Bach sucedeu ao seu padrinho Georg Philipp Telemann como mestre de capela em Hamburgo, e, em consequência do seu novo ofício, passou a dedicar-se com mais atenção à música sacra. A sua obra inclui oratórias, pelo menos três volumes de canções, várias sinfonias e música de câmara. Durante o período que esteve em Berlim escreveu um conjunto de Magnifcat em que aparecem traços da influência de seu pai, uma Cantata de Páscoa e algumas cantatas seculares. Nessa época ele era um dos mais habilidosos e reconhecidos executantes de instrumentos de teclas da Europa. O clavicórdio, o instrumento da sua preferência, sofreu uma breve queda na sua popularidade na Alemanha, em meados do século XVIII, antes de ser de facto suplantado gradualmente pelo pianoforte.
Durante a segunda metade do século XVIII, a reputação de C.Ph.E. Bach permaneceu muito alta. Mozart disse a seu respeito, “Ele é o pai, nós somos os filhos”. A maior parte da formação de Haydn derivou de um estudo da sua obra. Beethoven expressou acerca dele a mais cordial admiração e respeito. Isto deve-se principalmente às suas Sonatas para cravo, que marcam uma época importante na história da forma musical.
Carl Philip Emanuel Bach participou intensamente do movimento musical de seu tempo, contribuindo para a criação de um estilo musical que se foi afastando cada vez mais do Barroco.
Considerado o fundador e precursor do estilo clássico na música erudita, C.Ph.E. Bach morreu em Hamburgo em 14 de dezembro de 1788.
Texto de Luís Ramos
%d bloggers like this: