«1961 – O Ano que Mudou Portugal»

Um livro fundamental para os que nasceram em 1961! 🙂 Poderia fazer-se tal afirmação. Mas 1961 – O Ano que Mudou Portugal é também fundamental para os que viveram esse ano e para aqueles, mais novos, que querem hoje compreender o que representou esse momento irrepetível da história portuguesa. 1961 foi um ano surpreendente por várias razões: o desvio, com fins políticos, do paquete Santa Maria e de um avião da TAP; a oposição das Nações Unidas à política colonial de Salazar e a descoberta de que o governo de John Kennedy financiava os movimentos independentistas do Ultramar; o massacre de brancos em Angola, que deu início a treze anos de guerra que afetaram diretamente mais de um milhão de portugueses. Um ano que terminaria ainda com a invasão de Goa pela União Indiana, que deixou no terreno 3500 prisioneiros. […]Via http://www.clubedoslivros.org

1961 foi um ano estranho na História de Portugal. Decisivo também, pois originou o fim de quinhentos anos de império ultramarino. Radical ainda, porque a orientação política isolou o país a nível internacional, enquanto a maioria do povo português apoiava Salazar nas decisões contrárias ao que sopravam os ventos da contemporaneidade.
Foi um ano inaugurado com um protesto inédito realizado por um ex-homem de mão do regime, Henrique Galvão, que desviou o Paquete Santa Maria, e encerrado com uma rebelião liderada por outro ex-homem de confiança do regime, Humberto Delgado. Pelo meio, um general de topo da hierarquia militar encontra-se com o embaixador dos Estados Unidos em Lisboa para debaterem o modo de derrubar o presidente do Conselho do primeiro e, no dia seguinte à intentona falhada, o próprio Salazar cunha a frase «Para Angola e em força».
O que apegava de modo tão forte Salazar ao poder? Que sentimentos inspirava nos oito milhões de cidadãos sobre os quais reinava? Como contrariava o desenvolvimento do país de modo a fazer com que, a partir deste ano, mais de um milhão de portugueses emigrasse? De que modo planeava as actividades da polícia política na repressão aos que se lhe opunham? O que fez para que a Índia não recuperasse os três enclaves que Portugal aí mantinha? Porque foi obrigado a abrir o caminho ao envio de mais de um milhão de jovens para a guerra de África, sem aceitar negociar soluções económicas ou políticas que salvassem o último grande império do planeta? Como suportou um diferendo perigoso com as Nações Unidas, os Estados Unidos e a União Soviética?
São respostas a estas perguntas que se vão encontrar numa viagem ao quotidiano de um ano que mudou Portugal para sempre e que moldou todo o pensamento e a realidade social que ficou até aos dias de hoje.
Este olhar aconteceu através da leitura de três jornais da época, que refectem igual número de visões sobre a realidade nacional. Os primeiros quatro meses são observados no noticiário do Diário de Notícias; de Maio a Agosto no do Diário de Lisboa e, nos últimos quatro meses de 1961, no do jornal República. Via http://www.portoeditora.pt/
Sobre autor:
Depois de cinco retratos biográficos sobre escritores portugueses – Uma Longa Viagem com Álvaro Cunhal (2005), Uma Longa Viagem com Miguel Torga (2007), Uma Longa Viagem com José Saramago, Uma Longa Viagem com António Lobo Antunes (2009) e Uma Longa Viagem com Manuel Alegre (2010) – o autor decidiu agora viajar no tempo e dar-nos um retrato dos 365 dias que decidiram o fim do Império Português.
João Céu e Silva nasceu em Alpiarça, em 1959, licenciou-se em História durante os anos em que viveu no Rio de Janeiro e é, desde 1989, jornalista do Diário de Notícias. Publicou também um livro de viagens (Caravela Tropical) e um romance (28 Dias em Agosto).
Título: 1961 – O Ano que Mudou Portugal
Autor: João Céu e Silva
Editora: Porto Editora, 2011
Anúncios
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

In Gaza

and beyond

Ana Isa Figueira

Psicologia Educacional

Histórias de Portugal em Marrocos

sobre Património, História e outras histórias

Carlos Martins

Portuguese Jazz Musician, Saxophone Player and Composer

O Cantinho Sporting

Onde a opinião é verde e branca!

TABOO of ART

'Also known as loveartnotpeople.uk, taboofart.com might just be the unintentional cure for the art world malaise: Spend twenty minutes trawling through the archives and you’ll be begging for the arcane pomposity of an Artforum Critic’s Pick' said BLACKBOOK Magazine

Michelangelo Buonarroti è tornato

Non ce la fo' più a star zitto

Lino Guerreiro

Compositor/Composer

TheCoevas official blog

Strumentisti di Parole/Musicians of words

David Etxeberria

Visual artist

Mary had a little blog

This is the bee's knees

Luz da imagem

A luz, essência da imagem e da fotografia. Analógica/digital; imagem real; imagem artística; Ensaios fotográficos.

The Libertine

A public blog that features a compilation of exceptional artists' works; serendipitously discovered by a secret admirer. The ongoing overtones of the production frequently include evocative imagery, passionate emotions, pure beauty and raw exprience (to name a few themes). Our content is composed of artistic expressions, fashion editorials, promising talents, diverse bodies, freedom for all, love forever and the eternal search for truth in the visceral .......................................................................................................................................................................................... (SUBMISSIONS TO satietypaper@gmail.com)

Instituto de História da Arte

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas - Universidade Nova de Lisboa

Franz E.

a tua palavra conta...

Devaneios e Poesias

Devaneios, poesias, literatura e cultura geral

ABA SYSTEMS

Advanced Business Advisor

Speakers' Corner

"I could be bounded in a nutshell, and count myself a king of infinite space" - William Shakespeare, in Hamlet

%d bloggers like this: